A retomada

quinta-feira, outubro 22, 2015 Hell F. 26 Comentários


Quando minha avó paterna desencarnou, em 2007, perdi várias "regalias" (como o direito de ir e vir a SP quando bem entendesse, ou abusar da boa vontade dos parentes e amigos íntimos). Mas minha principal perda foi o equilíbrio emocional. Além da batalha "contra as drogas", que na verdade era contra mim mesma, há muito havia renunciado à Wicca por nada além de medo. Após vish muita treta vish (como as voltas na vida de todo mundo), encontrei conforto no Kardecismo, doutrina que até o início deste ano, me preencheu razoavelmente bem. Jamais por completo, pois pra mim seus dogmas ainda são um tanto "moderados" para quem é acostumado com fenômenos. Em português claro, é uma "religião" LENTA que necessita de paciência para estudos e palestras - enquanto o Candomblé te possibilita um contato infinitamente maior com as entidades.
 
Paciência é um dom que muito me falta, especialmente pelo fato de que eu sempre fui a macumbeira das rodas de amigos. A fascinada pelos mistérios do Oculto. A que não tinha medo de se aventurar por terreiros, estudar tarot, projeção astral e reencarnação. A que queria entender o Hermetismo, os mistérios da Maçonaria, o legado de Crowley, o Caminho da Mão Esquerda e caralho a quatro (mesmo não tendo fé nessas crenças goéticas).

E como boa parte dos médiuns, dependi da boa vontade de um familiar para fechar meu corpo (procedimento que consiste em temporariamente anular os dons mediúnicos de um encarnado). Dona Amélia, minha amada vozinha, era umbandista e frequentadora do Candomblé, ou seja, através dela tive acesso a conhecimentos que evitaram que eu me tornasse uma pessoa de mente fechada. O que ao mesmo tempo me permitiu conhecer outro lado de minha cultura, a Santa Muerte, dos bandos da família de minha mãe (que por sinal, é uma católica não praticante e também médium - porém, cagona). Ou seja, não tive pra onde correr, né? Hahaha!

Mas agradeço (e COMO agradeço) por não ter sido criada em crenças rigorosas e "limitadas". Além do mais, conheço vagamente preceitos da Messiânica, da Cabala, do Hinduísmo e, por bisbilhotice, uma coisinha ou outra de religiões cristãs e maometanas (essas mais por curiosidade do que por real interesse).

Mas nada, nada, naaaada e NADA me fez me sentir em casa como a magia. Nada me socou tanto na cara e deixou marcas como o paganismo, como se me dissesse: "Tá vendo que sem mim você não é você?". Só não me entendam mal, não foi uma punição característica dos cristãos que se  culpam quando "desviam" para o "mundo" (e sentem que andam para trás sem a igreja). Nada disso.

Meus Deuses não são vaidosos e não precisam testar o meu amor. Eles não cagam regras e eu não sou um boneco controlado para satisfazer Suas vontades. Minha fé não é codificada nem provém de leis, mandamentos ou moralismos. Não temos um livro sagrado ditando caminhos. Nossas tradições foram passadas por ancestrais de geração em geração. A desvantagem é que com o massacre domínio romano, muitas informações foram perdidas, mas o lado bom é que não existem limites pré-moldados nos estagnando. Não somos impedidos de pensar além e nem punidos por isso.

Minha sede incontrolável consiste em não mergulhar em algo sem antes conhecer todas as opções. Sou geminiana: superficial e curiosa. Prefiro buscar de tudo um pouco do que me abitolar numa coisa só! É como saber que a comidinha da sua mãe é a melhor do mundo e ainda assim pagar caro pra comer em restaurante. E eu frequentei muitos "restaurantes", meu povo. Ouvi de um amigo chamado Lucas que sou religiosamente promíscua (e é verdade) HAHAHA. Sim, eu pulei de galho em galho absorvendo o melhor da macumba, da Nova Era e do que quer que tenha me feito bem. Mas não era suficiente. Assim como nossa amada Sapathaís era catequista e teve seu chamado para o Candomblé (que a preenche verdadeiramente).

Porque pra mim, iniciada e filha evadida, nada se iguala aos costumes dos sabbaths e esbbaths, à suavidade das músicas medievais, o zelo com o altar, o uso de ervas e a prática da Arte. É incomparável entender e sentir que existem forças muuuuito maiores do que nós. E que estão ao nosso redor, de braços abertos apenas aguardando que... acordemos. Entrei em renovação espiritual. Há alguns anos deixei a punk dependente escrota e egoísta pra trás, em busca de meu novo EU. Mas caí em um limbo e só agora recuperei minha consciência. Que nada mais é do que uma retomada do antes evoluindo pro agora. Porque o hoje é repleto de ontens, muitos deles recordações do meu tempo sendo despedaçado diante de mim. E agora o retorno, com amigos sendo encaminhados para os caminhos da espiritualidade e da magia, faz muito mais sentido do que se eu nunca tivesse dado essa pausa.
 
A questão é que aos onze, quase por brincadeira, tive meu primeiro contato com os Antigos. E agora o meu chamado retornou em um momento que "coincidentemente" acendeu a chama da espiritualidade para quase todos que amo. É como se o despertar tivesse realmente sido planejado para cada qual em sua "linha", mas alinhando-se respeitosamente como se uma crença completasse a outra. Como se as divindades antigas dançassem com os eguns em perfeita harmonia. O casamento entre o caldeirão e alguidar - só que em corpos diferentes.

Meus pais Ogum e Exu abençoam minha volta à vida em que pertenço. E sou grata a cada ensinamento que preencheu essa minha alminha fodida (que foi tão acolhida em momentos de estorvos) até então.
Nunca me faltou lugar para ir, mas a graça é que sempre tive para onde voltar (e ficar).
E eu voltei de vez.


 

y duwiau ein harwain mewn cytgord perffaith yn y ffordd o hud
 
 Direitos autorais: Valorize a veia artística deste blog, em respeito à lei nº 9.610 (de 19 de fevereiro de 1998). Não faça cópias de trechos/quotes deste conteúdo autoral sem fornecer o devido crédito à autora e ao nosso link. A equipe Faroeste Manolo agradece ^^.
Hell (bat0mcomalcool)

AUTOR

Hell (bat0mcomalcool). Vulgo Hell {Ellen F.}. Ex-punk, fumante inveterada, colorida e rabiscada. Geminiana em dobro. Filha de Xoroquê e neta da Grande Mãe. Adotou o deboche como filosofia de vida e aceita a decadência como eterna companhia. Viciada em História, política, poesia, cultura vintage, seriados, literatura e The Sims.

26 comentários:

  1. Primeiramente, estava com saudades de você! <3 Segundamente, como somos parecidas né?! Vai ver é por este motivo que nos damos tão bem. Eu também meio que me desenvolvi dessa mesma forma, só que foi um pouco às cegas, pois não tive ninguém pra me guiar, e a minha família em peso é da -hipocrisiacristã. Eu não sei como sou assim, só sei que foi a minha sede por conhecimento que me levou até o Paganismo, e me considero bastante feliz. Não tão "adaptada" como queria, porque ainda não tenho meu próprio espaço-tempo para isto, mas chegarei lá. Quando você descreve natureza, pôr do sol, cheiros, aromas, ervas, chás, cristais, a verdadeira energia viva, é tudo muito mais real do que pensar em castigo e controle de ações porque o ser humano é simplesmente "mau" e deve ser controlado. É mais uma questão de amor o do que de doutrina, se é que me expressei bem. Beijos linda, estou com saudades! (E sem whatsapp pra variar! D:)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OMG, que saudadeeee, Jaquelinds <3
      Você disse tudo, a energia viva é LÚCIDA diante de dogmas, normas e punições.
      Por isso que você é minha diva!
      PS: PERCEBI que a sra está sem zap :'( hHAAHAHA

      Um abração do tamanho do mundo procê, coisa linda ♥

      Beijos ;*

      Excluir
  2. Sem palavras Hell, vc voltou com tudo ♥
    E o importante é ser feliz, se vc buscou em todas as religioes e so e feliz na bruxaria que seja lindo o seu destino *o*
    Nao some mais..bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, Miih! Muito obrigada, minha querida. Não importa qual a causa, se a busca é importante, deve-se tentar ser feliz =*

      Excluir
  3. Gostei desse seu lado religioso. É muito bom a gente se apegar em algo maior.
    Bom final de semana!

    http://jj-jovemjornalista.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. To de mal de vc Hell, nem avisa que ia sumir =( kkkkkkkkk nao tenho palavras pra elogiar seu desabafo, pra ter coragem de assumir a bruxaria em tempo de inquisiçao evangelica e preciso muito peito <3
    Saudades linda..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, Lorena... Mil perdões, besha! Estávamos numa puta correria, meu.
      Prometo que se houver novo motivo pra sumiço, avisarei por aqui.
      Muito obrigada pela força, lindona <3
      Sua opinião sempre me é de importância..(e adorei o termo inquisição evangélica AHHAHAHA).

      Muah ;*

      Excluir
  5. Esse teu texto me levou a pesquisar muito mais a fundo as varias religiões citadas aqui. Achei todas elas interessantes, apensar de não acreditar totalmente em uma, acredito que há algo maior. Sucesso com o blog.

    Decidindo-se \o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bacana, Vinícius. YEY, fico feliz por saber que te aguçou uma curiosidade.

      Abraços e valeu pela visita =*

      Excluir
  6. Uau... texto maravilhoso...amei cada palavra.!!!

    Gêmeos é assim mesmo...Beijos e Sucesso! SEMPRE!

    ResponderExcluir
  7. Que linda você, Hell! Sempre tive fascínio por magia e Wicca já foi foco de muitas pesquisas minhas, acho tão intenso, bonito, interessante...
    Acho que sou meio descrente para tudo, sabe? Só por isso não me encontro em nenhum lugar, não no protestantismo onde cresci, não no catolicismo, espiritismo, umbanda ou candomblé. Nem na Wicca. Talvez eu não pertença a nada, mas acho bem legal mesmo assim. Gostava de pular de galho em galho também, hoje em dia estou mais, digamos "na minha". Adorei o post e foi bom te conhecer um pouco mais.
    Um beijo!! E fico muito feliz por você ter encontrado-se.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelas palavras, Beca!
      E te entendo, há pessoas que buscam porque precisam dessa resposta, enquanto outras convivem muito bem sem apegar-se a nada (e são felizes do mesmo jeito). Se você procurou e não achou nada que lhe preenchesse, aquele ditado é bem certo: "O que não tem solução, solucionado está". Ahahah, ou seja, é porque está perfeito assim ^^.

      Beijão, lindona =*

      Excluir
  8. Olha, quanto mais eu leio seus posts mais vejo muito de mim em você! Eu nunca me liguei a alguma religião até conhecer o paganismo. Nunca gostei dos dogmas da igreja católica, só me encontrei verdadeiramente na Wicca, estudando a natureza e sua incrível forma de se manisfestar. Mas também percorri os caminhos do Kardecismo e religiões africanas.
    Gosto de estudar tudo (e nem sou de Gêmeos haha), mas meu lado espiritual de pisciana sempre me leva onde eu preciso encontrar respostas.
    Estou voltando aos estudos pagãos aos poucos, os anos de afastamento não me fizeram muito bem...

    Boa sorte na sua caminhada, que ela se ilumine sempre <3

    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carol, para meu. CHEGA!
      Nas reflexões sociais, no mov. punk, no amor à História (o seu é ainda maior, haha), até na wicca, pqp, somos almas gêmeas perdidas ou o quê? HAHA!

      Piscianos são seres naturalmente elevados e tem essa quedinha pelo místico e espiritual. Bem sua cara mesmo!

      Muito obrigada pelas palavras, alegraram meu dia ♥

      Beijão do tamanho do universo =******

      Excluir
  9. Blessed be! ♥ ♥

    Wicca/Bruxaria não se escolhe, se é (mesmo que não saiba que é rsrs). Foi assim comigo.
    Também sou geminiana, curiosíssima por religiões (e várias outras coisas, vulgo: tudo!)
    bjs Hell!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sanaaaa, esse vulgo TUDO define nosso humilde signo, né? *-* AHHAHA.

      E realmente a Bruxaria nos escolhe mais cedo ou mais tarde, não há escapatória para os caminhos dos Mistérios.

      Beijão, lindona ♥

      Excluir
  10. Heeeeeeeeeeeeeeeeeeeell, sua linda, que saudade de você bandida!! *-*
    Cara, eu li e reli seu texto. Lá no fundo somos muito parecidas. Essa curiosidade pelo oculto, essa vontade de passear por todas as religiões e conhecer um pouquinho delas. E no fim das contas, sempre voltar ao paganismo, voltar a bruxaria, voltar aos braços da Grande Mãe.
    Você foi e é sortuda por ter familiares em religiões distintas, que puderam te mostrar caminhos diferentes. Eu aqui, fui criada por uma família católica, numa escola católica, sofrendo o preconceito e o repudio porque desde muito jovem gostava do misticismo e abri a mente para o paganismo...
    Confesso que estou um pouco afastada dos meus estudos e até mesmo da minha espiritualidade, mas aos poucos estou voltando, me afogando nesse oceano de magia novamente.
    Muito bom ver esse post, muito bom mesmo.
    Beijão, sua delícia!! ♥

    http://creepybeauty.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Gente, que bacana! E o mais bacana ainda é ter várias pessoas dizendo que também são adeptas à "bruxaria" HUIAHSDIUA
    Para ser sincera eu sou católica (não vou a Igreja, mas né) e apesar de já ter tido uma curiosidade pelo ocultismo hoje não entendo nada disso HUSAIDHUA, por isso já peço desculpas se estou utilizando termos errados. O que eu queria dizer é que na minha opinião todas as religiões deveriam servir para melhorarmos como ser humano, melhorarmos nossa forma de se relacionar com o mundo e quiçá encontrarmos respostas ou novas perguntas...Se a sua é assim, muito bem <3 Achei muito bacana saber mais sobre você e seu lado religioso, Hell! <3

    Beijos, Vickawaii
    http://finding-neverland.zip.net

    ResponderExcluir

 Espaço livre para sugestões, críticas e elogios;
 Você pode comentar como anônimo ou utilizando seu nome/URL, conta do Gmail ou Wordpress;
 Sua opinião é bem-vinda, contanto que não seja homofóbica ou racista. Agradecemos :)