A beleza da militância chata (e por que eu sou coxinha)

quarta-feira, julho 15, 2015 Hell F. 35 Comentários




Antes de tudo, o desabafo. 
 
Quando eu tinha treze anos, (involutariamente) tudo que me interessava era impressionar a galera mais velha que andava comigo. Por ter sido adotada no meio de anarcopunks, descobri as maravilhas de se fazer parte de um grupo. E com o tempo, os malefícios de aderir ao inevitável pensamento de grupo.

Por mais que tivesse amigos de todas as tribos, eu sabia que meu lugar era no rolê. Com o tempo conheci pessoas da minha faixa etária e mesmos ideais, e assim fiz parte de várias turmas aleatórias dentro do movimento punk. Embora fossem companhias e níveis de amizade distintos, a história acabava por ser idêntica em todas elas.

Ideologias revolucionárias, patches com símbolos anti-fascistas e brigas por motivos de cores de cadarços fizeram parte da minha adolescência. Quem já foi punk sabe do que estou falando.
 
Inúmeras manifestações, primeiro contato com as dorgas, confrontos com policiais, "facadas" (na verdade, canivetadas) - que resultaram em uma enorme cicatriz -, e até uma prisão por desacato pesam no meu currículo. Fui expulsa de duas escolas, motivo de riso para mim e de vergonha pra minha mãe, que com muito custo tentava corrigir os erros que, segundo ela, minha avó cometeu em minha criação. Claro que cegueira de mãe não tem limites (nem para a minha, que por sinal é bem realista AHHAHA), pois a única errada da história sempre fui eu.
 
Só que a "culpa" da rebeldia não está apenas nas mãos das famílias, mas de todo o sistema que nos cerca. E ele influencia para o "bem" e para o "mal". Essa supremacia invisível está muito além do nosso alcance, talvez seja por isso que nos sentimos impotentes e injustiçados com a nossa realidade.

Mas uma coisa é fato, quem nasce com uma veia política (e não importa o lado escolhido), dificilmente se desprende dessa ligação e da eterna preocupação com o social.
 
Por mais ridícula que seja a razão de uma revolta para alguém, para outra pessoa pode ser a causa mais bem fundamentada do mundo. Havia um ilustre conhecido do rolê de Sampa que usava a luta sindical até para justificar seu vício em cocaína. Ele, no auge de seus 19 anos, NUNCA tinha trabalhado na vida, mas era impressionante o tamanho do interesse da plateia toda vez que discursava a favor do proletário.
 
Quem entende da cena punk sabe das controvérsias a respeito de se politizar. Os tradicionais (sendo punks ou OIs) eram apolíticos e vinculados apenas ao visu e à cultura punk. Já os anarcopunks SÃO políticos. Por isso, desde cedo aprendi  a discursar sobre o controle do capitalismo e seu impacto na vida de todos, então consequentemente aprendi os jargões clichês e inevitavelmente fazia apologia ao boicote contra os Estados Unidos, mas não tirava o All Star do pé hahaha. Sem contar os veganos da nossa galera, que criticavam a morte dos animais, mas ostentavam seu visu munidos de cintos de couro e coturnos.

Não demorou para que eu tomasse vergonha na cara e aprendesse por conta própria que algo estava errado, e não apenas no "mundo externo" que tanto criticávamos. Aliás, em retificação, não é que algo estivesse errado, algo estava MUDANDO dentro de mim.

Cansei de ver irmãos de cena que pregavam a luta contra o machismo, mas batiam nas namoradas. E elas, também do rolê, envoltas nessa hipocrisia pelo eterno sonho de "quero um amor Sid & Nancy". Marmanjos que dependiam das mães para bancar as gigs. Fora as brigas feias que começávamos e depois culpávamos os skins, que em 80% das vezes estavam no canto deles sem mexer com ninguém (até um de nós provocá-los). Vi amigos que beijavam outros meninos para se dizerem libertários terem vergonha de familiares gays, só por não serem punks como nós. Vi nosso "líder" mais manipulador traficando e usando novos membros "da família" para traficarem por eles. Quantos meninos conheci que fugiam de casa deixando os pais desesperados só para passarem a noite conosco dando uns tiros e fugindo da realidade (nota: eu já fiz isso e hoje em dia me corta o coração imaginar o que os meus passaram). Quantos "companheiros" roubavam mercearias pra termos o que comer, sendo que podíamos pagar. E muitos outros que julgavam seus irmãos certinhos, mas furtavam dentro de casa para manter os vícios na rua. Se eu fosse ditar todas as contradições que vi, vivi e cansei de viver, esse seria o post mais longo da blogosfera (e não é essa a intenção). Em suma, essa rede interminável de incoerências acabou por sugar meu romantismo revolucionário.  
 
Neste texto eu expressei um pouco do que senti durante o período em que fui fiel à cena punk (dos 12 aos 21) e a sensação ao decidir não pertencer mais àquele mundo.

E o que ficou dessa experiência? Além de muitas tretas, amizades desfeitas e outras eternizadas, percebi que ter consciência política não demandava apenas anarquia, socialismo ou raízes esquerdistas. Existia algo mais.

Entendam, não estou coligando os equívocos de um ou outro à escolha de ser anarquista/alternativo/revolucionário. Existem pessoas "corretas" e radicalistas por todos os lados, e tenho ciência de que meus erros não são exclusivos do movimento punk.

Quando abri minha mente para entender o que era punk Oi!, descobri uma filosofia muito mais compatível com meu caráter do que na cena anarco. Nem entrarei no mérito "skinhead - bons ou maus", pois existem leituras apropriadas para isso na internêi e quem se interessar pode procurar conhecer por conta própria. A única coisa que garanto é que esses filhinhos de papai WP (white powers) nem de longe pertecem à cultura skin.

Isso foi apenas a abertura de um mundo novo, que tanto odiei (por culpa de imbecis racistas que se apossaram da cena para causar), e aprendi a respeitar a origem, que a quem interessar possa, veio da Jamaica (sumemo, os primeiros carecas eram negros). 

Tendo conhecido o Oi!, o pontapé inicial foi pesquisar bastante sobre as causas que eu adorava defender, mas não conhecia a fundo. O maior baque foi  descobrir o verdadeiro Che Guevara, ao meu ver hoje, ninguém mais do que um cruel genocida que infelizmente é cultuado como ícone pela juventude. Foi preciso muito peito e estômago para perceber que o inimigo estava ao meu lado, e pior do que isso, dentro da minha cabeça. Quem era eu para condenar pessoas diferentes de mim? Vandalizar, desejar a morte de milionários, defender a posse de terras alheias para um MST corrupto e ainda apedrejar ônibus como se o governo fosse de fato melhorar? Quem era eu para determinar a ausência de leis, sendo que sem elas provavelmente o caos estaria instaurado? (COM elas já não adianta muito)...

Foi estranho perceber que eu estava do lado "errado" da força, mas não julgando meus antigos companheiros, apenas percebendo que eu não me adaptava àquele estilo de vida. Eu apenas não me via alimentando considerações que não acreditava mais.

Pensar diferente não te torna melhor (nem pior). Às vezes é importante observar o que te faz se sentir completo, mesmo que a felicidade seja formada por ideias e modos de vida. E se for essa sua válvula de escape, continue buscando no que você se encaixa - independente do que os outros vão achar dessa atitude.
Mobilize-se em direção de suas convicções.

-  - -

Existem pessoas e pessoas. Algumas não ligam para as fatalidades dos noticiários, outras não se importam em pagar tantos impostos, enquanto uns são governistas e outros são opositores. A mágica é essa, pois se tratando de política, unanimidade à força nada mais é do que regime ditatorial. A mentalidade de um pode ser a salvação de uma minoria - ou maioria.

Toda essa força soma, de alguma forma, ao espírito de mudança que precisamos ter. As diferenças também unem, mesmo que alguns se estapeiem pelo percurso até perceberem que estão brigando pelo mesmo fim. Mesmo os que nada falam ou fazem de certa forma contribuem, pois sempre haverá alguém para tomar suas dores. Querendo ou não.

*Ignorando o debate de que não existem posições políticas definidas no Brasil*
 
Vendo toda essa briga entre a direita coxinha e a esquerda caviar, me pego mais uma vez tomando partido, mas felizmente, compreendendo os dois lados. Não votei e acredito que nunca vou votar no PT, não suporto nem o nome Lula ¬¬ hahaha, mas quem sou eu para me dizer mais sensata do que quem acredita ter evoluído no governo dele?

Minha infância teve como cenário uma economia difícil, mas nunca faltou educação nem comida e de quebra, com R$ 15 eu ia ao cinema, lanchava e ainda sobrava pro fliperama HAUEHAUEA. Hoje com 15 conto você mal põe crédito no celular.

Mas o país não é feito só de mim e essa questão de "Foi melhor no FHC" ou "Foi melhor no Lula" é pura estatística, pois segundo os estudos eu tive uma infância "classe média" (baixa) enquanto a maioria da população vivia no aperto.

E hoje os que brigam pela inclusão social não são da baixa renda. Sabe por quê? Porque quem é baixa renda está ralando MUITO em subempregos para sobreviverem. Levantam de madrugada e enfrentam trem, ônibus e metrô para alimentar suas famílias. E quem os defende (seja via web ou pelas ruas) está fazendo algo muito bonito: abrindo os olhos do resto do país para quem precisa mais do que eles. 

Não sou totalmente contra o Bolsa Família, o que aliás foi implementado na era FHC, mas acho que seria justo que esse - como todos os outros programas assistencialistas -, tivesse maior controle e fiscalização. Assim como os gastos das autoridades. PRINCIPALMENTE OS GASTOS DOS APADRINHADOS DAS AUTORIDADES.

Recentemente o Palácio do Planalto recebeu críticas quando as contas exorbitantes de seus cartões corporativos (R$14 milhões - de janeiro a abril)  foram publicadas, mas segundo a assessoria da Dilma, "a pretexto de segurança nacional". Aham, Cláudia.

O governo nacional também designou a ANVISA para a implementação do programa de Aperfeiçoamento do SUS através de um contrato bem gordo, para  esses servidores privilegiados "capacitados" se inspirarem em modelos internacionais. Até agora a conta deu R$800 mil só com viagens aos exterior (de março a maio). Tudo isso para "otimizar" o SUS, ao invés de injetar essa verba com suprimentos nos hospitais, ao meu ver a prioridade máxima. (Quem duvidar pode clicar aqui, aqui, aqui, aqui ou aqui.)

Por uma série de fatores acredito que privatizações são mais justas do que as "farras" dos concursos, mas sem desmerecer o trabalho dos sindicatos (que também são corruptos, mas ruim com eles, pior sem eles).  Acredito que deveriam existir mais vagas a cargos públicos, mas recebendo o valor de mercado e tendo ponto eletrônico. Assim mais pessoas teriam oportunidades e honrariam nossos impostos. Se todos os concurseiros se esforçassem em se tornar funcionários exemplares como estudam para passar, o país estaria muito melhor. Uma das razões de minha indignação com essa febre de concursos é explícita: todos desejam "estabilidade e conforto" e acham que basta tomar posse para não mais trabalharem duro. ERA PARA SER O CONTRÁRIO, XESSUS. Seu "cliente" é uma população de milhões e o seu serviço deveria ser im-pe-cá-vel. E por esse tipo de raciocínio me vejo muito mais simpatizante da direita liberal (economicamente falando) e favorável à perda de poder do Estado.

Daí o governo safado sabe que o sonho da maioria é se tornar funcionário público e arrecada, além dos impostos, infindáveis milhões com inscrições de certames (que geralmente oferecem poucas vagas - mas muito concorridas). Eu acho que a União deveria injetar MUITO MAIS incentivo às sociedades mistas e investir MUITO MAIS em pequenas e médias empresas (para gerar empregos e cursos profissionalizantes). Desprender a população dessa sensação de "se não passar num concurso, não tem como viver bem".

Quando lembro que um servidor do Senado pode receber até R$30.000 ao mês e não ter sequer um controle de horário, enquanto a maioria dos brasileiros rala pra caralho só pra manter a sobrevivência, minhas indignações se tornam revoltas.

- - -
Sobre as tretas por politicagem

Independente da causa específica, boa parte dos interlocutores se preocupa apenas com seu próprio raciocínio e às vezes não percebe que seus adversários de discurso desejam o mesmo objetivo que eles: avanço. Os meios é que mudam. Só que infelizmente, esse meio não depende unicamente de nós. Acredito que o primeiro passo seja desassociar essa briga do senso comum. Por exemplo, uma família cristã pode não ser homofóbica, mas gosta do Bolsonaro porque teme a violência (pois dependem de transporte público e moram na periferia). Assim como uma família da alta pode ter lá seus preconceitos, mas defende o governo petista por achar que sua vida financeira evoluiu desde então. Na condição social, é natural que cada um se preocupe com os impactos que os afetam em seu meio. Claro que nada justifica a bancada homofóbica que usa a força LGBT para se manter em evidência, eu estou falando do dia a dia de pessoas como nós, que assim como nós, querem um país que ofereça saúde, segurança, educação e transporte público de qualidade. Simples.

Acredito que a primeira medida a se tomar para pararmos de odiar tanto quem pensa diferente de nós, é parar de enxergá-los como estereótipos que nós mesmos montamos para eles:

- Nem todo universitário é maconheiro;
- Nem todo liberal é elite;
- Nem todo petista é hipócrita; 
- Nem todo rico é racista;
- Nem todo pastor é homofóbico;
- Nem toda feminista é lésbica.

Assim como:

- Existem conservadores a favor da volta da ditadura;
- Existem esquerdistas a favor de lutas armadas;
- Existem evangélicos que hostilizam as minorias.
- Existem movimentos representando minorias que nem sempre agem com integridade.

Afinal de contas, estamos lidando com seres humanos (repletos de falhas de caráter e em busca de vantagens pessoais). Vimos um partido famoso por sua luta pela classe C se tornar elite e cometer erros piores do que a elite que tanto condenava. Mas ainda assim, possui influência dentro da sociedade e isso possui prós e contras. São muitas pequenas vírgulas dentro de cada ser humano e seus grupos, como poderíamos nós nos subdividir em apenas duas facetas, sendo que nosso cenário é complexo e demanda uma análise tão maior?

Pessoas já me disseram: "Logo você, que é mulher, punk, tatuada e cheia de atitude, do lado da elite?". Gente, onde está escrito que por ser mulher é preciso ser feminista, que por ser LGBT é preciso ser esquerdista e por ser tatuada não posso DECIDIR qual visão/posição política acredito ser o melhor para o país? Por que ser contra o PT é ser taxado como ELITE? A roubalheira deles é que formou uma nova elite. A família do Lula é a elite. Que lei INVISÍVEL e escrota é essa que define que quem tem determinado estilo só pode pertencer a um lado? Não posso pensar diferente? Não posso analisar economicamente falando?

- - -

Sobre ser liberal

Desde que o Brasil se libertou do regime, todos os governos apostaram que educação era a chave de tudo. Não me entendam mal pfv, mas acho que entrou gestão e saiu gestão E SÓ PIOROU. Educação é de suma importância, sim. Mas acredito que a chave seja ECONOMIA. Vemos professores (principalmente aqui no DF) receberem um salário MUITO MAIOR do que a média nacional, e viverem de greve. No interior, milhares de estudantes são prejudicados por falta de estrutura, mas aqui em Brasília, NUNCA se viu protesto dos professores por melhora da qualidade da educação - APENAS  POR AUMENTO DE SALÁRIO.

Posso estar completamente errada, mas vendo o exemplo europeu e americano, enxergo que se a economia vai bem, a inflação se estabiliza e as pessoas conseguem arcar com suas dívidas. Se as famílias arcam com suas dívidas, o dinheiro sobrará ao invés de faltar. Consequentemente, as verbas teriam melhor destinação,  a iniciativa privada teria qualidade no serviço e aumento de clientela, a clientela ficaria mais satisfeita do que o atendimento público, e o serviço público ficaria menos saturado. Diminuindo o poder de estado, consequentemente os tributos seriam menores - e as pessoas teriam mais condições.

Quem paga aluguel, arca com gastos da gasolina e é autônomo sabe como é difícil manter uma boa renda. Essa cadeia alimentar de mau gosto afeta a todos, dos privilegiados a quem está na linha da pobreza. Sabe por que? Porque temos uma carga tributária MUITO ALTA e não temos retorno disso.

- - -

Que bando de lunáticos nós nos tornamos, brigando por partidos como se fosse um duelo entre o bem e o mal, esquecendo de avaliar as entrelinhas e tornando cada acontecimento um duelo agressivo?

Sim, sou a favor da redução da maioridade penal, mas é ÓBVIO que isso não solucionará o problema. Vejo como uma medida de segurança a curto prazo, já que o sistema de segurança pública é falho, juntamente com o penitenciário e claro, judiciário. Não acho que seja a melhor das ideias, mas diante da bagunça em que estamos, infelizmente é uma medida que tenho de concordar.

Não, NÃO sou a favor da bancada fundamentalista, e ser uma "coxinha" não anula meu pensamento individual como cidadã. Sim,  sou a favor da legalização do aborto (depois de bastante reflexão). Não, não sou a favor da legalização da maconha.
 
Na verdade, a única coisa que me torna uma coxinha na história é não ser a favor da esquerda tradicional aheuaheu. Já analisaram a bagunça que fizemos dentro de nossas próprias convicções em nos separar entre apenas dois lados?

Quem olha isso deve pensar "Minha filha, decide o que você quer." Por quê? Por que eu tenho de escolher apenas um pensamento por conta de dois lados que possuem extremas falhas e acertos em sua totalidade?

Eu posso ser anti-PT, mas continuo sendo veementemente contra o racismo e a homobofia. E infelizmente tenho de justificar isso, porque por conta dessas caricaturas que nos transformaram em antônimos, os "coxinhas", só por protestarem contra a gestão petista, foram classificados como tal (como preconceituosos). Engraçado que na época do Mensalão do Lula nem a UNE se manifestou contra a corrupção. Quando uma página petista ironizou em uma matéria representando o ex-ministro Joaquim Barbosa como MACACO, o movimento negro não protestou contra o PT. Por quê? Por que, gente? (Quem não lembra desse absurdo pode clicar aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e aqui). Só por ele ter sido um crítico ferrenho do governo? Quer dizer que o PT é anti-racismo somente quando o negro em questão é simpatizante ao seu governo? E quando há protestos da oposição, de repente o movimento é racista por ter "mais brancos" na multidão contra a gestão? Que eu me lembre na posse da Dilma não havia nem 10% das pessoas que pediram seu impeachment, e de todas as fotos que vi, a maioria TAMBÉM era branca. Mas isso caracteriza racismo POR QUÊ?

Aliás, alguém me mostre algum membro da cúpula petista nomeada pela Dilma que seja de alguma minoria, por favor. Queria ver exemplos na prática, já que o discurso pregado todos conhecem - mas não agem como defendem.

É com esse tipo de comportamento que me preocupo, apenas um lado pode ser criticado. O outro não, senão vira "rebelião da elite". {Preguiça}

Tenho meu pé atrás com o Jean Wyllys em metade de seus discursos,  inclusive acho que ele induz muitas pessoas a acreditarem que quem não é da esquerda é preconceituoso. E isso me afeta. ME OFENDE ser comparada a um Feliciânus da vida só por não concordar com as causas esquerdistas. Até acho que nesse ponto, Jean se iguala à bancada que tanto critica, pois os fundamentalistas fazem a mesma coisa com seu público conservador. Mas em relação à causa gay o Jean é genial e extremamente importante na história da política brasileira.

É preciso entender que diante de tantos movimentos novos, existe também uma nova direita formada por jovens (muitos LGBTs, inclusive), que querem tanto quanto você uma melhoria no Brasil. Não é só a esquerda que tem o direito de se mobilizar e não apenas os movimentos esquerdistas são legítimos.

Admiro muitos dos pensamentos feministas, embora não me considere uma. Concordar não requer obrigação em ser. E também não concordo com tudo que vejo por aí em algumas falanges. Se alguma ler isso e me xingar, não tem problema nenhum, mas algumas coisas EU vejo como exagero. Mas mesmo o exagero tem seu lugar de destaque em qualquer causa.
 
Sabemos dos efeitos negativos dessa estrutura social chamada patriarcado que se instalou em nossa vida - historicamente por princípios cristãos e/ou maniqueístas -, e até hoje somos afetadas com a diferença de salários, estatísticas de violência e normas padrões que tanto nos oprimem. Se não fossem por atos feministas revolucionários ao longo do século, provavelmente nossa situação como mulheres seria ainda pior.

Além do mais, concordo totalmente com o discurso de que nós não devemos viver montadas 100% do tempo, que não precisamos aceitar a droga do fiu fiu na rua, que homem nenhum tem o direito de ditar o que é melhor para nós, além de não termos a obrigação de sermos donas de casa ou nos preocupar em casar e ter filhos - só porque existe o costume disso ser o esperado.

Por isso, aplaudo suas iniciativas, mesmo que eu não me veja escrevendo "amigues", "outres", "companheirxs" e esses termos que tentam desvincular-se da cultura machista. Já vi feministas radicais debochando de feministas liberais, chamando-as de "burguesinhas da elite". Novamente entro na questão da obrigatoriedade de ter o pensamento de grupo para conseguir respeito. E é nisso que discordo.

Conheço inclusive muitos LGBTs que não suportam o discurso feminista, e eis que mais uma vez volto ao que defendi ali em cima: cada qual se importa com sua realidade. Mesmo que a maioria das feministas participem dos atos LGBTs, o movimento "Marcha das Vadias", por exemplo, é hostilizado dentro de vários grupos gays. Mas isso não é motivo para guerra (né?).

A luta, por mais grupal que seja, acaba por ter sua cota individual. NINGUÉM encontrará outra pessoa que concorde 100% com todos os seus ideais e que tenha a mesma posição em relação a todos os assuntos. Mas essa militância TEM de existir, tem que ter o seu espaço. Mesmo que incomode maioria ou minorias.

Não acho justa a "luta" do MST, mas de maneira alguma me oponho ao direito deles de reivindicar. Quisera eu ter tempo no meio de semana à tarde pra ir ao Congresso com faixas exigindo o que acho certo EHEUAHEAUE (trampo na frente da Esplanada dos Ministérios e ao menos duas vezes na semana tem protesto de MST ou CUT de manhã e à tarde). E o que mais me revolta é essa limitação de opções. Você pode ser petista e admitir que a roubalheira foi muito maior do que os governos passados. Você pode ser direitista e confessar que não suporta quem pede pela volta da ditadura. Você pode ser centro-esquerda ou centro-direita e apontar os enganos cometidos por quem defende. Você pode estudar numa universidade federal e se recusar a levantar "bandeiras vermelhas". Você pode ser razoável em qualquer escolha, mesmo que continue militando a favor do que acredita. E principalmente, você pode ter o direito de mudar o modo de pensar a qualquer instante, não importa qual a opinião escolhida. E eis que o conceito de democracia surge no nosso dia a dia. Aceitar não quer dizer concordar. Respeitar não quer dizer mudar de ideia. É conviver e captar o que há de melhor na posição do outro, que futuramente pode se tornar uma alternativa razoavelmente superior.

Vejo muitas pessoas reclamando do clima de ódio que reinou no período pós-eleição (inclusive também tenho aversão ao ódio errado), mas acho que todos nós nos esquecemos da BELEZA dessa militância chata. Dos dois lados. É lindo! Nada mais belo do que o direito da Maria da Silva ser petista, se orgulhar dos feitos de seu partido e bater nas teclas que achar deve bater. Nada mais belo do que o José de Sousa ser do PSOL, se opor ao PT e ainda defender ideais socialistas. Nada mais belo do que o João de Deus ser psdbista e ser a favor da oposição. Nada mais justo do que a juventude sair de casa e exigir o que acha que deve exigir de melhor para sua comunidade. Mesmo que você morra de raiva do pensamento do outro, sempre existirá um fundamento nele. Essa galera fundamentalista do "Em defesa da Família" a princípio utilizava argumentos que feriam uma minoria, até que essa mesma minoria tomou voz e fez um LINDO curta usando o mesmo nome. Confira aqui ou aqui. Às vezes um ataque a nós pode se tornar uma arma DO BEM, sem bate boca, sem estresse e sem perder a razão.



Sei que nós tomamos nojo das bancadas evangélicas com sua perseguição ao movimento LGBT, aliás até acho que eles DEPENDEM de nós para terem essa notoriedade, mas nem todos os políticos (e as pessoas filiadas a determinados partidos) são obrigadas a seguirem apenas uma linha de pensamento. Assim como você pode ser punk, vegetariano, hétero e opositor, uma patricinha pode ser feminista, burguesa e governista.

Acho que inventamos muitas novas regras para agradar aos companheiros de pensamento e limitar os adversários como se fossem inimigos. Já fiz isso aos treze e sabe, não dou conta de repetir a dose - porque não vale a pena.

- - -

Em respeito a todos os que pensam diferente de mim, deixo aqui meus pensamentos "coxinhas" e nem tão coxinhas assim, e agradeço por sua posição existir, pois muitas delas podem mudar a sociedade da forma como quero, e às vezes ainda não consigo enxergar. Obrigada mesmo por cada um que luta pelo que acredita, mesmo que eu não concorde em gênero, número e grau. Quem disse que para uma causa ser válida precisa ser unanimidade? Eu me contento com essa paixão de querer um mundo melhor, mesmo que alguns retrocedam e acham que estão evoluindo, ou outros que acham que nada fazem, mas nos levam à frente. 

Mesmo que eu não me identifique com sua luta, vou comemorar seu ânimo em propagá-la. Esse é o maior tesouro que o ser humano pode ter, consciência de que é preciso MUDAR algo para favorecer alguém.

Por isso, antes de reclamar que sua timeline anda exageradamente radicalista (de ambos os lados), que seu grupo de amigos sofreu baixas por conta de discussões ou se estressar com qualquer um que pense diferente de você, tente tirar daquela opinião a RAZÃO da preocupação da pessoa. Quando não te acrescentar em nada, ao invés de bater boca e agir igual aos que julga, ignore. Não dói. Existe quem nasce pra fazer barulho e quem se fecha em uma postura diferente. Às vezes nenhuma das duas está errada.

 
 
Direitos autorais: Valorize a veia artística deste blog, em respeito à lei nº 9.610 (de 19 de fevereiro de 1998). Não faça cópias de trechos/quotes deste conteúdo autoral sem fornecer o devido crédito à autora e ao nosso link. A equipe Faroeste Manolo agradece ^^.
Hell (bat0mcomalcool)

AUTOR

Hell (bat0mcomalcool). Vulgo Hell {Ellen F.}. Ex-punk, fumante inveterada, colorida e rabiscada. Geminiana em dobro. Filha de Xoroquê e neta da Grande Mãe. Adotou o deboche como filosofia de vida e aceita a decadência como eterna companhia. Viciada em História, política, poesia, cultura vintage, seriados, literatura e The Sims.

35 comentários:

  1. "Nada mais belo do que o direito da Maria da Silva ser petista, se orgulhar dos feitos de seu partido e bater nas teclas que achar deve bater. Nada mais belo do que o José de Sousa ser do PSOL, se opor ao PT e ainda defender ideais socialistas. Nada mais belo do que o João de Deus ser psdbista e ser a favor da oposição. Nada mais justo do que a juventude sair de casa e exigir o que acha que deve exigir de melhor para sua comunidade."

    Hell esse foi o post politico mais democratico que ja li na minha vida kkkkkkkk. Vc nao meteu o pau em ninguem e mesmo assim explicou tim tim por tim tim o porque de ser desse lado. Mas vc tem sorte de nao ter facebook pq a coisa esta realmente feia, vejo tanta gente falando tanta merda, tanta merda. Sei que sou suspeita pq odeio o pt, mas tem gente que mistura as coisas e por vc pensar diferente te chamam de feminicida, monstro, elite, burgues.. Eles nao aceitam que ngm pense diferente deles, e se esquecem que isso tbm é uma forma de opressão. Mas vou avaliar meu comportamento e tentar entender pq defendem algumas coisas que sao indefensaveis kkk juro que vou tentar mas nao prometo que vou conseguir kkk

    E tambem sou mais da centro-direita liberalista do que outra coisa, mais algo que temos em comum *-*

    Beijos <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Debs. Não há por que meter o pau em quem possui convicções, a culpa é das autoridades (de todos os partidos) que usam e abusam de nós. O que acho errado é esse duelo de braços como se os políticos fossem Deus e o Diabo (em posições opostas para determinado lado), sendo que entra governo e sai governo, e a coisa só piora.

      Fico feliz por você também ser liberal, acredito muito na força da nova direita e na força de desbancar os clichês sobre o que era direita e esquerda e que não existe mais. Chega de fundamentalismo e de radicalismo, apenas consciência e sabedoria para discernir o que cada bancada propõe (quando palpável, é claro).

      Obrigada pelo comentário.

      Beijão, minha queridona <3

      Excluir
  2. SENSACIONAL... não consigo dizer outra palavra para esse texto kkkk

    ResponderExcluir
  3. Confesso que reli umas tres vezes e só me enchi de orgulho por cada frase, Hell lindona ♥
    A parte que mais gostei foi essa 'Que bando de lunáticos nós nos tornamos, brigando por partidos como se fosse um duelo entre o bem e o mal, esquecendo de avaliar as entrelinhas e tornando cada acontecimento um duelo agressivo?".

    E cara, é bem o que está acontecendo. Vc vê gente da oposição inventar noticias nada a ver que desmerecem ate mesmo quem é contra por motivos reais, ve muitas pessoas que dependem do papai e da mamae, nunca trabalharam na vida e vivem posando de justiceiros no face, mas são burguesinhos sim kkkkkk E tambem ve gente sem noção que tem coragem de defender um governo que é como todos os outros, pra não dizer pior...

    Vc disse no outro texto que nao existe consenso e nesse de agora que nao existe ngm que concorde com tudo que vc acredita, mas acho que vc esta enganada pq eu faço minhas as suas palavras. Até coisas que eu nem tinha pensado vc me fez pensar ^^ Tudo perfeito =*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simone, sua lindona. Obrigada pelo comentário.

      Montesquieu identificou relações causais que explicavam a diversidade de regimes políticos existentes e abriu a possibilidade de identificar o social como uma esfera específica da vida humana. Isso é o que dizem seus estudos sociológicos e políticos. Ou seja, sabe o que rola? Esse disse me disse SEMPRE existiu, desde que eu era criança lembro de boatos de todas as partes sobre o que acontecia por trás da política, a diferença é que quando muda o lado o discurso só altera a face do vilão da história (da vez).
      Hoje nós temos um acesso que não tínhamos antes, por isso a consciência política está mais evidente por todo canto, alguns pela revolta e outros pela necessidade de defender o que julgam correto. Com o boom da conectividade, as notícias chegam inevitavelmente, cabe a cada um usar o bom senso para divulgar o que realmente for uma notícia verdadeira ou mesmo tomar vergonha na cara para avaliar a situação e admitir quando o seu próprio lado está equivocado ou fazendo merda.


      Não sabe COMO FICO FELIZ por concordar, e especialmente POR ENTENDER o que eu quis passar aqui. Muito, mas muito obrigada mesmo.

      Muuaah <3

      Excluir
  4. Gata uma coisa é ter opinião, outra é disseminar manipulação e isso tem acontecido muito com esse povo safado.
    Tudo que voce falou sobre os jovens serem obrigados a serem de esquerda pra provar que tem personalidade é verdade, e essa imposição vem justamente dos companheirxs.
    O que eu vejo principalmente aqui no Rio é essa nova ondinha de estudantes que são bancados pelos pais, moram na zona sul e saem militando nas redes sociais como se morassem nas favelas. Inclusive sao os que andam em carros blindados, vivem nas trances usando um monte de porcaria e falam de evolução como se pra ser honesto e digno fosse preciso ter dread e votar no PT. Não concordo com essa esquerda, alias nem acho que PT seja esquerda, e só mais um p-artidinho enganador que ainda usa o romantismo dos seus seguidores pra se promover e se dizerem do povão. Eu trabalho em pé de seg a dom num shopping pra pagar minhas contas e ajudar dentro de casa, só pq eu nao votei mais na dilma virei burguesia? Tem dó, eu acho que eles tem que tomar vergonha na cara e trabalhar, pegar metro, andar muito a pe e pagar aluguel ao inves de fumar maconha e protestar por causa da maioridade. Se esses adolescentes estudarem e fazerem um estagio, nao terao porque irem presos por trafico ou assalto.
    Acho muito bonito tudo que vc falou mas da nos nervos ver esse bando de comunistinha de boutique bancando os socialmente conscientes na internet sendo que a realidade deles nao e bem aquela que pregam..

    Mas voce arrasou no raciocinio, se tivesse ao menos um esquerdista que fosse prudente como vc nao teria essa briga toda por ai, e enquanto isso a roubalheira no congresso continua..

    Desculpa a biblia que escrevi kkkkkkk mas nao aguento esse assunto calado

    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fabi, concordo contigo que existe uma onda fora do comum que insiste em rótulos cansativos para provar uma filosofia de vida hipócrita. Nunca se viu tanto disso como hoje, graças à interação virtual e ao excesso de informação e vastos materiais por aí publicados.
      Os deuses sabem como tenho asco de certas pessoas que pregam o que não cumprem, e ainda mudam o discurso dependendo do público hahahaha. Mas para isso Nietzsche já cantava essa bola: "A moral é um artifício dos fracos", em um de seus ensaios sobre a ética. Fora que o discurso de Foucault também toca no assunto. O que quero dizer é que algumas pessoas possuem necessidade de fazer parte de algo "maior", por um bem "em comum", mesmo que estejam errados. E para manter a base de seu cinismo, que é provar a todo custo que sai bem na fita, às vezes são incoerentes e acabam por defender algo que nem acreditam de fato.
      Como a maioria comentou por aqui (e fico feliz pela compreensão), o ser humano é repleto de falhas e comete barbaridades para se manter em evidência ou mesmo morrer em nome de algo que nem lhe representa tanto.

      Sim, existe essa "moda" de militar a favor de recursos ultrapassados para se manter "hype", mas sem parecer que estão em voga. Mas mesmo essa postura, apenas por não concordarmos, não pode estar completamente errada. Afinal de contas, muito de nossos próprios pensamentos são oriundos de regimes/filosofias que também pecaram pelo excesso ou contra a inclusão social, mesmo que não seja de forma alguma a nossa intenção.

      Política é algo tão complexo que não existem bandeiras 100% erradas, e de certa forma os que defendem o que detestamos, fazem algo bom para alguém - só porque esse alguém não nos representa não indica falha.

      É bom nos acostumarmos com a juventude paz e amor em carros blindados e usuária de drogas sintéticas e discursos esquerdistas, mesmo que não concordemos com tudo que eles representam, eles precisam existir.

      Muito obrigada pelo seu ponto de vista, concordo com muito do que você falou <3

      Excluir
  5. Ah não gente, eu acho que tem muito exagero até em boas causas, agora estão chamando a Madonna de racista pq os filhos adotivos fizeram massagem nos pés dela, você viu?

    http://www.brasilpost.com.br/2015/07/14/madonna-racismo_n_7797438.html

    Chega de tanta babaquisse, né? A rainha está dando uma vida maravilhosa para os filhos e eles mesmos ficaram chocados com a polemica. Tem gente que quer aparecer a todo custo pra defender essas causas e acabam deturpando tudo ¬¬

    Se coxinha for pensar diferente desse povo uó então também sou coxinha kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente o excesso de militância acarreta nesse tipo de situação mesmo, Digo. Mas isso faz parte. Nesse caso ela foi inocente e as pessoas exageraram em algo sem sentido, porém a Madonna já deu vários deslizes durante a carreira e deveria rever seus conceitos para evitar mais polêmicas.
      Não neste caso, que foi ridículo mesmo hahaha.
      Quem não queria ser adotado por um artista milionário, até eu tô querendo, faria comida, faxina e massagem pelo resto da vida ahueahuae!

      Excluir
  6. Rótulos, babaquice, necessidade sem fim de se meter na vida dos outros e palpitar enquanto deveria estar cuidando da sua própria vida... Como cansa a beleza, né?!


    Beijos
    Brilho de Aluguel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não era bem isso o assunto do texto, mas tudo bem hahaha.

      Beijão!

      Excluir
  7. Eu sinceramente tenho sono de quem se auto intitula como comunista ou coxinha ou sei lá que porra... acho de extrema idiotice, afinal ambos os lados são defendidos por humanos, estes que por sua vez sempre erram, portanto não há motivos para dizer qual lado é melhor, se é a direita ou a esquerda.

    A direita é desestabilizada assim como a esquerda tá cheia de playboyzinho mimado que quer dar uma de revolucionário mas tem uma empregada doméstica dentro de casa, e ainda por cima paga miséria. Enfim, há erros dos dois lados, não há como dizer quem é melhor, concordo plenamente com o que disse.

    Eu não tenho posição política definida, simplesmente porque sou a verdadeira escória deste país e não é direita liberal nem esquerda e irá lutar por mim, afinal sou pobre, sou mulher, negra, feminista, sou filha de nordestinos, filha de uma empregada doméstica, sou habitante da periferia e ganho uma miséria, me mato todos os dias de madrugada para trabalhar, não arranjo um emprego decente, não tenho condições de pagar um cursinho para fazer um vestibular, enfim... Nem direita nem esquerda vai mudar a minha vida a não ser eu mesma. Eu tive boa escola porque me matei de estudar um ano todo para conseguir bolsa de estudo, porque senão eu não tinha feito era porra nenhuma. Eu consegui vaga em uma unesp da vida porque ralei muito... até porque na época nem cotas para a população carente não tinha...

    Enfim, para você entender que ficar defendendo lados e se posicionar em direita e esquerda e não fazer nada para mudar o país não te faz um revolucionário, independente dos lados. Revolucionário pra mim não é essa molecada que fica postando meme político no facebook com a bunda na cadeira o dia todo, não é esses moleque que faz o rockeiro drogado, punk anti capitalista e passa o dia postando selfie no facebook... revolucionário é o ser humano que dá a sua vida por causas humanitárias, que abre ongs com único intuito de ajudar a população carente a estudar - coisa que falta nesse país - e muda a vida de muita gente pra sempre, que consequentemente muda a vida das próximas gerações. Isso é revolucionário.

    Sobre o bolsa família, não só apoio como acho justo, e sabe por que eu aceito? Porque eu vejo de frente a realidade de pessoas que abrem o armário para procurar o que comer e não encontra nem mesmo um grão de arroz, as crianças morrendo de fome e pais desesperados pois empresa nenhuma quer dar trabalho, sabe por que? Porque morar na favela é "não ter endereço", as empresas tem medo de dar emprego a essas pessoas. Enfim...

    Meu comentário é grande porque eu li todo o seu post e tinha muita coisa a acrescentar, afinal entendo totalmente o seu posicionamento, porém na minha opinião acho desnecessário você se posicionar só pra dizer que é "contra" a esquerda. Acho que o ser humano tem que ser a favor do bem estar geral, independente de gênero, orientação sexual, etnia ou sei lá o que... Dá sono a gente ter que lidar todos os dias com essa lutinha chata entre direita e esquerda enquanto o mundo tá se acabando, gente morrendo de fome enquanto tem um bando de gente na frente do Iphone querendo falar de causa humanitária e defendendo partido e posicionamentos sem nexo algum...

    PS: Por favor, não leve isso para o lado pessoal, jamais. Apenas é a minha opinião e é o que eu acho sobre as pessoas que se posicionam, independente se é de esquerda ou direita. E desculpa a bíblia e de ter contado a minha vida aqui, foi uma continuação do post kkkkkk

    Beijos!

    madessy.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpa a intromissão.. nem te conheço mas li tudo que escreveu. Mas acho que quem tem sono do assunto e tem a necessidade de escrever tanto sobre como é desnecessário alguem se posicionar politicamente parece que você se importa demais com o tema kkk.

      Excluir
    2. Fiquei muito satisfeita com seu desabafo, Madaha. Infelizmente milhares de brasileiros passam pela mesma situação que você, embora a raça negra e os desfavorecidos sejam pauta de muitas dessas lutas sociais, acabam por levar a mesma rotina. É como você mesma afirmou, não importa como anda essa guerra, sua posição é a mesma e provavelmente não irá mudar da noite para o dia por conta de esquerda ou direita.

      Eu quis fazer esse desabafo primeiro porque é meu blog hauehauea, segunda porque política é algo que me fascina e terceiro porque vejo que muitas pessoas pensam como eu, mas sentem medo de sair do armário da direita liberal por receio de serem erroneamente chamados de racistas, homofóbicos e burgueses - tecla que procuro bater para mostrar que OI, EU SOU DIFERENTE DE TUDO ISSO.

      O que mais vejo por aí é recrutamento da esquerda, e poxa, eu não quero ter apenas a Veja como referência de oposição - nenhuma mídia é imparcial. Expus apenas o MEU ponto de vista e meus motivos para chegar a este pensamento.

      Essa guerra de braço que tanto vemos por aí acabou por favorecer um lado, que faz um discurso muito bonito, mas na prática acaba por ser favorável à mesma elite de sempre - a que eles tanto negam pertencer.

      Eu quis apenas demonstrar que tenho meus motivos para acreditar em verdadeiras mudanças, e combater esse senso comum que se instalou na briga - um acusando o outro de ser assim e assado (o que acaba ignorando e desrespeitando a singularidade de cada pessoa).

      Espero de coração que seus estudos e trabalho duro sejam reconhecidos e que possa chegar a um avanço financeiro e social melhor do que o atual. Acredito muito na capacidade das pessoas, especialmente as que pertencem a alguma minoria, de mudarem suas realidades e garantirem um futuro melhor para si mesmas e suas famílias.

      Muito obrigada pelo comentário =*

      Excluir
  8. Acho que você agiu certo em explicar sua posição política pq de humanitários de Facebook bancando os militantes o mundo ta cheio. Mas eu sou contra o bolsa familia pq se a pessoa é baixa renda e não pode alimentar seu próprio filho, porque ter mais um, dois, três? Se a pessoa é desfavorecida, porque depender de caridade do governo? Eu recebo bolsa de estágio e ajudo em casa pq meu pai é cadeirante e perdeu o emprego, ou seja, cada centavo aqui faz falta, mas nao recebemos nenhum benefício. Se eu nao economizar, sei que vai faltar comida em casa, mas nenhum movimento principalmente de esquerda me ajudaria pq nao me encaixo nos requisitos. Eu nao posso ter filhos agora pq sei que estou apertada, entao pq essas familias mais pobres ainda nao podem ter a mesma consciência?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você entendeu perfeitamente o meu propósito, Duda, que é justamente usar o meu direito de me manifestar politicamente. Pois como você bem observou, a esquerda possui isso de sobra na internet, e falta um posicionamento do outro lado.

      Sobre o Bolsa Família já dei minha opinião no texto, mas concordo contigo que as famílias mais pobres deveriam ter consciência ao invés de colocar mais crianças no mundo, até porque se a mãe mal dá conta de arcar com suas próprias necessidades, por quê parir cinco filhos, né?

      Mas infelizmente consciência e discernimento não são a especialidade do brasileiro, e nem podemos culpar uma pátria de terceiro mundo a tentar diminuir um pouco a miséria de seu povo. É um problema grave a ser resolvido com muito mais tempo de política social, por isso infelizmente não vemos o resultado imediato.

      Quisera eu que o Bolsa Família fosse nosso único "problema"...
      Enquanto Petrolões e Mensalões correm soltos por aí enchendo o bolso do PT e de diretores e empresários milionários, os recursos do BF não passam de migalhas (para quem precisa de migalhas). Por isso não me revolto mais com as irregularidades dos programas assistencialistas.

      Obrigada pelo seu ponto de vista, Duda <3

      Excluir
  9. Cara, política é um assunto que me fascina e eu sempre gostei, mas nos dias de hoje dá até medo de me posicionar pq sempre vão te criticar. Se você falar, dizem que só falar não adianta nada (o que adianta então?). Se reclamar que está ruim, te chamam de revoltado sem causa. Se falar que tá bom te chamam de conformista. Sempre vai ter alguem que vai se achar mais pobre, mais injustiçado, mais discriminado. Vejo meninas brancas que ganharam o carro dos pais por terem passado no vestibular se dizendo feministas e agindo como feminazis, mas sera que elas nao tem espelho em casa? Antes de sair por ai criticando, ver que papel ridiculo estao fazendo, ao inves de tentarem achar alguma solução legal pros seus problemas, ficam infernizando tudo que acontece por ai e criando MAIS problemas? ¬¬
    Nasci pobre e vim de uma familia bem humilde mesmo, mas eu ralo para um dia ter condições de começar uma família com minha esposa e aí sim, poder adotar uma criança que foi abandonada. Mas até lá sei que vou ter muito esforço pela frente pq infelizmente neste pais chamado Brasil, os privilegiados estão sempre muito abaixo ou muito acima de nós. Muitos acham injusto isso, mas quem é classe média baixa se ferra mais do que os miseraveis, pq os miseraveis ganham uma merrequinha por filho, e la onde eles moram o custo de vida é baixo. Nós pagamos impostos, trabalhamos e nao temos direito a NADA.

    Tenho primas no interior da Bahia com seis, sete filhos.Podiam passar roupa afinal é digno ser diarista, mas preferem assistir novela o dia inteiro e viver na miséria pq se contentam com esmolas. Minha mãe poderia ter tido esse destino, mas decidiu ir pra cidade grande e começar do zero. Ela terminou o ensino fundamental com 30 anos, e nao é vergonha pra ninguem. Eu era pequena e ela sempre com os livros debaixo do braço pagando aluguel e me criando sozinha. Nunca precisou de macho nenhum e nem de benefício pra se virar. Hj ela é secretária aposentada e quando visita nossa família da BA, leva uma pilha de roupa, remédio e sapato pro pessoal, porque eles nao querem mais saber de pescar, caçar, arrumar bicos e se virar. Ela teve uma infancia muito mais pobre do que a minha e mesmo assim seguiu em frente. Alguns podem falar que ela deu sorte, mas nao foi sorte, foi muito SUOR. Pé inchado em sapato de sola velha, como ela mesma diz. E se hoje eu me mato de trabalhar e estudar, é para poder dar a ela um sossego que ela quis me dar. Se nós somos honestas tendo uma vida dificil, todos podem ter. Nao tem desculpa pra defender vagabundo, eles nao tem pena de ngm.Não gosto nem nunca vou gostar nem defender bandido. Por que eu tenho amor ao meu trabalho, as minhas dores de cabeça, as contas que só eu sei que tenho que pagar. Sou parda mas não quero cota pq essa divida de escravidao pra mim nao passa de oportunismo eleitoral. Eu sei da minha capacidade. Tem gente de descendencia branca, preta, indigena e amarela que nasce e morre na classe media entao eu nao vou me vitimizar pela cor da minha pele, a minha cor é LINDA. E não é melhor nem pior do que nenhuma outra. Quando vejo garotos um pouco mais novos do que eu se entupindo de drogas e dando trabalho pros pais me dá tanta raiva desse egoismo que vejo que o pais esta mesmo perdido. Quem nasce ruim, morre ruim, Hell. Não adianta achar que a questao da maioridade é uma medida de urgencia a curto prazo pq nao é. Quem nasce com instinto preguiçoso, assassino, cruel ou mal carater nao muda. Nao adianta tentarem defender, pq escola publica tem ai pra qualquer um, se eles estivessem estudando nao precisariam se importar se é o negro ou o branco que tem mais chance de parar na cadeia. É só fazer o certo.
    Concordo com muitas coisas do que voce falou, mas acho que tem alguns movimentos que realmente nao se esforçam para exigir respeito. Entendo que ha muitas familias que tem medo da violencia, EU TBM TENHO, mas nada justifica apoiar um bolsonaro da vida. E tambem acho que nada justifica defender os ladroes do PT. Eles sao uma corja hipocrita e so nao enxerga quem nao quer.

    ResponderExcluir
  10. Continuando

    Nao tenho posição politica definida, mas sei de uma coisa, esse país não vai mudar nao como devveria. Sao muitas pessoas erradas se achando as certas, muitos hipocritas, uns querendo ter mais direito do que os outros. Muito desvio de verba, radicalistas por todos os lados militando atras de telas, e como vc mesma falou o mST fazendo protestos em horarios que os trabalhadores de verdade estao Trabalhando kkkkk
    Vc acha mesmo que todo mundo tem uma parcela de razao? Eu acho que nao. Mas acho digno seu positivismo em acreditar que ate quem esta errado merece ser ouvido.

    Ah e gostei muito do texto, principalmente a primeira parte que deu pra te ler por completo e entender como voce tem uma historia de vida interessante <3

    Tive que desabafar tudo pq serio, vc é mto inteligente e tem pensamentos muito bons para tentar entender alguma coisa positiva nesse governo ou nos radicais da esquerda kkkk vc é melhor que isso gata!

    Bjão :~

    http://sobremeninasevodcas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Hell vou pontuando pra ver se vc capta minha opinião kkkk

    1; Como punk voce viveu os dois lados e aprendeu da pior maneira como o ser humano é hipócrita, e geralmente os que mais levantam bandeiras sao os que mais julgam quem pensa diferente, não que eu ache que todo punk seja assim. Já te contei a história do meu irmão caçula, né? Então...

    2; Ao menos vc acordou pra vida e percebeu que esse pensamento libertário só aprisiona mais as pessoas. Eles não cansam de se queixar de como a vida deles é difícil, mas nao tomam atitude de estudar nem que seja para um concurso, nem é preciso fazer cursinho não, hoje em dia tem quilos e quilos de sites com conteudos de graça sobre todas as materias, entao que nao reclamem pq é comodismo. Sou filha de empregada domestica e minha mae ja quitou nossa casa, moro em um bairro perigoso e poderia ter virado uma maloqueirinha como muitos colegas de classe, mas nao, eu nao quis ser como essas meninas que engravidam aos 16 interrompem os estudos e passam o resto da vida mal casadas e infelizes, criando tres, quatro meninos dentro de casa sem ter condições nem se sustentar sozinhas.
    Eu poderia ter levado uma vidinha do crime como tantos aqui, mas escola tinha, entao o que falta é vergonha na cara. Mais da metade dos malocas que conheço tem uma boa familia, nao de riqueza, mas de carater, entao nao venham dizer que falta de oportunidade cria vagabundo nao, pq de pobre honesto o Brasil está cheio.

    3; Sou totalmente a favor da redução da maioridade penal, podem abaixar pra 8 anos que quem tem vergonha na cara nao precisa se preocupar com isso.

    4; Tenho tios de comunidade que nunca tiveram problema em arrumar emprego, e tambem tenho dois tios que sao bens de vida hj pq ralaram muito pra conseguir alguma coisa. Cansada desse mimimi que quer que o governo banque tudo, e numa coisa eu concordo absolutamente com voce, que o ideal seria o estado ter menos poder, pq so assim as verbas seriam melhor controladas.

    5; Nem todo universitario é maconheiro até entendo, mas a maioria dos que estudam em uni federais sao sim. Os absurdos que acontecem naquela USP nao cabem no gibi. É como vc falou, a mentalidade de grupo que aliena... Nem toda feminista é lesbica, verdade, mas eu ja tive vontade de aprender melhor sobre o movimento e quem sabe assim criar uma força de ajuda as outras mulheres, mas minha amiga que é muito ligada no assunto disse que eu nao podia entender como e ser uma feminista engajada pq eu nao tenho simpatia pela esquerda, entao eu te entendo sobre o que falou, eles realmetne querem nos excluir. Ela continua sendo minha amiga e nem foi grossa comigo nem nada, mas fico triste ao ver que eles fazem questao de afastar as pessoas por conta dessas convicções idiotas. E dai se eu nao voto no PSOL ou no PSTYU... nao posso ter uma visao boa para o feminismo sem misturar partidos?

    6; Nunca sonhei em ser funcionaria publica, alias eu sempre quis trabalhar com moda e designer e sei que conciliar uma vidinha de concurso com meu sonho nao seria por completo, e tbm acho que a iniciativa privada precisa de mais destaque para as pessoas pararem de sugar a maquina. Daqu a pouco nao vai ter mais vaga pra ngm e se todos virarem concursados, vamos sobreviver apenas dos impostos, que so vao aumentar ¬¬¬¬¬

    7; Nunca vou entender pq as pessoas endeusam o Che, Fidel e essas filosofias comunistas, se comunismo fosse bom eles nao ganhariam poder so no golpe.

    Enfim minha amada Hell, me desculpe discordar de algumas coisas pq acho que nem tudo na esquerda merece ser ouvido nem por educação, mas agradeço pelo debate que vc acabou proporcionando kkkkkk

    Vc como sempre arrasando com suas palavras

    gRande beijo =**

    ResponderExcluir
  12. Respeito muito as minorias até pq faço parte de uma, mas muito do que vejo é que tem tanto grupo de desocupados que só se preocupam em causar, militar, ofender e generalizar que dá raiva.
    Sou negra com muito orgulho e minha família graças a Deus sempre teve condições e meu pai nao precisou de cota nenhuma para advogar, mas nao que eu me oponha as cotas, so acho que tem como conseguir chegar la batalhando sem privilegio tb,
    Eu fazia parte de uma comunidade de feministas de apoio a negritude e nos encontros que eu participava, meu dinheiro servia para flyer, panfleto, filipeta, banner, pra tudo. Mas foi só uma menina abrir um tópico criticando o uso de chapinha e eu me opor ao pensamento dela, que o inferno começou. As mesmas meninas que nunca tiveram problema nenhum com minha ccondição social me chamaram de mimada, me ofenderam dizendo que eu quero ser branca, que uso muita maquiagem, que sou filhinha de papai e até de RACISTA fui chamada. Aí te questiono se voce concorda com esse tipo de coisa.

    Tenho familiares humildes que nunca passaram fome. Eu estudei em escola particular e tive condições de garantir minha vaga na universidade, mas graças a minha familia que trabalhou muito para que EU pudesse estudar. Se eu ganhei meu carro quando tirei a carteira, claro que seria mais gostoso se fosse com a grana de um emprego, mas isso me desmerece como ser humano? Eu tenho CULPA pelos estudos dos meus pais? Pelos empregos deles? Não, eu nao tenho culpa se meus irmaos jogam tenis, isso nao me faz uma burguesinha de merda, como esses grupos radicalistas gostam de pensar.

    O clube do meu pai faz doações mensais em instituições de caridade e nao é por culpa não, é por bondade mesmo. Pergunta para qualquer Abrace da vida quem é que mais doa, se sao os ricos ou os pobres. Acho um absurdo que todos que infelizmente nasceram desfavorecidos descontando sua raiva da vida em quem nao tem culpa disso. Reclamem com Deus e tirem a bunda da cadeira pra estudar. Meu bisavô era escravo e aposto que ele nunca sonharia que um dia teria descendentes com prestigio, entao se meu avô e meu pai se esforçaram muito pra ter um dignidade e conforto para eles e pra familia, entao ninguem tem que meter o dedo na nossa cara e falar esse tipo de asneira.

    Sinceramente eu to de saco cheia dessas feministas mimimi, desses militantes internautas, desse povo que qualquer coisinha começa a azer textao idiota e nao separam nem 10 reais do salario pra ajudar uma creche, nao tem consciencia ambiental, nao reciclam, nao ajudam as pessoas nas ruas, só reclamam. Fiquei muito triste com o tratamento que recebi e sai de todooooos os grupos por culpa de algumas babacas fascistas que se acham melhores que os outros.

    Honestamente a direita é tão melhor no sentido de gerar oportunidade que ainda nem acredito que ainda exista quem pense o contrario, essa esquerda falida nao passa de enganação para alienar esses trouxas.

    Apesar de concordar com algumas das suas considerações, pontuei o que vejo em minha opiniao.
    E se alguem se der o trabalho de ler aqui, POR FAVOR GENTE PAREM DE FALAR "RIQUINHOS' de modo pejorativo, aposto que todos voces gostariam de ter uma vida melhor, entao parem de besteira e vao ralar, estudar, economizem, vendam algumas coisas, se virem e tenham sua grana ao inves de ridicularizar pessoas que nao tem culpa das suas dificuldades!!!!

    ResponderExcluir
  13. Extremamente reflexivo seu texto Hell. Li e reli com atenção e me identifiquei muito.

    Ao meu ver, o ser humano tem essa necessidade de pertencimento social, inerente ao instinto social de estereotipar quem pensa diferente. É impossível estabelecer um diálogo construtivo se não há o mínimo de boa vontade em tentar compreender os motivos que levam alguém a pensar de determinada maneira, como você bem disse no texto.

    E, na grande maioria das vezes, só vejo discórdia e ofensas tanto em redes sociais quanto em ambientes de trabalho, na vizinhança, dentro de casas... É uma realidade muito desalentadora.

    Gostei do tom político do seu texto, me fez repensar minhas posições políticas essencialmente de esquerda, me fez pesquisar melhor os termos "esquerda" e "direita" oriundos da Revolução Francesa e o quanto foram deturpados ao longo dos séculos, me fez refletir sobre a meritocracia, sobre o quanto as nossas posições sociais interferem nas nossas convicções ideológicas. Eu odeio os estereótipos porque, no fundo, são apenas ilusões sociais criadas para separar nossa raça. Por que não aprender a conviver com as diferenças? Infelizmente, é muito mais cômodo e egocêntrico julgar.

    Enfim, seu texto realmente me fez questionar tudo Hell, a única certeza que saio é a de que vou continuar te lendo com muito entusiasmo. ;-)

    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Hell, eu li e reli umas três vezes esse texto. Pensei em não comentar nada pois, poxa, não tenho o que comentar: você disse tudo!
    Em qualquer assunto que proponham uma divisão tão dualista quanto bem/mal, esquerda/direita, eu já fico absurdamente com o pé atrás pois, como você disse várias vezes aqui, os seres humanos são muito mais que isso! Não somos apenas uma coisa ou outra - somos cheios de vírgulas, de opiniões, de vivências...

    Olha... bato minhas palmas! Acho que nunca me identifiquei tanto com alguém quando o assunto é esse!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. San, fico muito feliz mesmo por saber que se identifica tanto neste quesito com minha pessoa <3
      E captou bem minhas considerações, somos repletos de particularidades..

      Um beijão, sua linda ;*

      Excluir
  15. Li tudo, bem reflexivo. Posso dizer que tudo o que você falou faz bastante sentido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha servido como reflexão, Daise!
      Obrigada mesmo =*

      Excluir
  16. "É com esse tipo de comportamento que me preocupo, apenas um lado pode ser criticado. O outro não, senão vira "rebelião da elite". {Preguiça}" Hahahahauaa que texto maravilhoso!!! Sério, há tempos não me identificava tanto com alguém!!! Muitas vezes me sentia um ET no meio dessa pancadaria toda que virou a militância por aqui. Sem falar no que diz respeito ao MST, sempre pensei a mesma coisa hahahaha tipo "De onde esse povo tira tempo pra se manifestar tanto? Deve ser por isso que tão sem emprego kkkk"

    Parabéns pelo texto, de verdade!!! Não há elogios suficientes.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. RI LITROS COM SEU COMENTÁRIO, DUDA! HAHAHAHAHHAHA

      Fiquei nas nuvens ao ver como você se identificou, não sabe como me deixa feliz ver manifestações leves e engraçadas sobre a triste situação deste país de m* hahahaha.

      Obrigada mesmo, sua linda =*

      Excluir
  17. MA RA VI LHOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO SO!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ELISAAAAAAAAA, QUE SAUDADEEEE <3

      Libera os comentários no Vênus #apelo

      Excluir
  18. li, reli, mandei via face e ainda estou relendo.
    Este é o tipo de post que gosto de reler muitas vezes: ele mexe com meus brios e pré-conceitos, me incomoda e me acolhe, e me faz pensar dias. Vou deixar aberto para reler muito ainda esta semana.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou mega curiosa para conhecer o parecer final das suas reflexões, Vivien :)

      E meu, tô felizona por ter estimulado essa série de pensamentos em você.

      Beijão <3

      Excluir
  19. Cada vez que leio seus posts tenho vontade de lhe dar um abraço! haha
    Não sabia que tinha raízes nesses movimentos. Eu também fiz parte de rolê punk por muito tempo durante a juventude (até os 20 mais ou menos), depois parei por uma questão de segurança, já que estava grávida e vi pessoas do meu convívio sendo mortas com facadas em frente a casas noturnas... Depois conheci o comunismo e os chamados "esquerdopatas". É bem o que você citou: prega o fim do machismo mas bate na namorada. Triste, mas é a realidade.

    Já fui chamada de esquerdista, idiotizada (ainda mais porque curso História - quem dera os cursos de Humanas formassem essas pessoas tão "politizadas" como algumas pessoas pensam, talvez o mundo até estaria melhor), nas eleições fui chamada de petista, entre outros 'adjetivos" que prefiro nem citar aqui. Porém eu acredito na anarquia, embora ela esteja longe de ser alcançada. Eu ainda acredito que só com educação, consciência e respeito ao próximo é que vamos chegar a um denominador comum. Embora nem tudo seja racismo, por exemplo, gosto de questionar o gosto, o meio social, as justificativas que dão para aquela frase "ah, mas é só minha opinião" e talvez por isso mesmo eu crie tantos "inimigos", pessoas que não tenho o prazer de uma boa conversa.

    A grande questão, como você mesma citou, é deixar o senso comum, as dualidades de lado... Muitos falam sobre comunismo sem saber o que é, muitos falam sobre teoria liberal sem nunca ter estudado de fato suas raízes e suas mudanças até chegar no que é hoje. Chega uma hora que cansa... Por isso tenho me afastado um pouco desses discursos, muitos não levam a nada.

    Desculpa o textão hihihi

    Beijos <3

    ResponderExcluir

 Espaço livre para sugestões, críticas e elogios;
 Você pode comentar como anônimo ou utilizando seu nome/URL, conta do Gmail ou Wordpress;
 Sua opinião é bem-vinda, contanto que não seja homofóbica ou racista. Agradecemos :)