Permita-se fazer merda de vez em quando!

sexta-feira, maio 15, 2015 Hell F. 11 Comentários

Oops!...I Did It Again
Planos são importantes e jamais deverão ser completamente ignorados, mas até que ponto devemos ter controle absoluto sobre nossas vidas?
Arquitetar cada pequeno detalhe do nosso futuro até pode parecer fascinante, mas também é perigoso, visto que a sombra da esperança se chama decepção.

Já repararam como estamos nos pressionando cada vez mais? Estamos numa pressa do caralho em resolver tudo ao mesmo tempo - e o que isso reflete de bom?
Que desespero é esse nosso por dinheiro, casa própria, emprego estável, carro quitado e diabo a quatro? Que cultura agonizante é essa que não nos permite mais respirar com calma e dormir em paz?
Essa mudança radical é nítida. A molecada de antes brincava na rua, tinha sua própria roda de amigos, matava aula, fumava escondido, tinha medo dos pais. Dia de boletim era chacina na certa. E agora adolescentes nada mais são do que pequenos adultos. Moleques de quinze anos já estão ambiciosos. Meninas de treze querem ser mulheres fatais. Mal sabem se vão passar de ano e seus pais já cobram aprovação em concurso público. É mole?
Quando me pressiono sobre objetivos futuros, tento tomar o cuidado de não dar um passo maior que as pernas e saborear apenas o famoso tomar no cu, meu companheiro há anos. Quando me vejo elaborando ações que devo concretizar "até os 30", "até os 35", como se a vida fosse programada e sem surpresas em seu percurso, tento me recordar de quando era apenas uma adolescente perturbada que não desejava nada demais (e justamente por isso, tudo que tinha era mais do que suficiente).

E quando a frustração toca a campainha, tento associar aquela que fui com quem me tornei.
E meu Deus, será que fiquei tão chata assim?
Pensar demais nem sempre ajuda, e quer saber? Às vezes só repele felicidade. Estamos desejando coisas que nem queremos tanto, mas vivemos em torno disso. Trabalhamos demais pra comprar o que só o cartão de crédito consegue pagar. E assim seguimos o maldito padrão de como nossas casas devem ser, quais marcas podemos usar, quais smartphones nos interessam mais.

Quando chegamos aos vinte e poucos, ouvimos por todo canto que a vida deve ser "encaminhada" o mais breve possível. Daí olhamos pro lado e começamos a comparar nossa vida com a alheia. E culpamos nossas burradas como se elas tivessem impedido algum milagre.

"Se eu tivesse estudado mais, hoje estaria rico". "Se eu tivesse frequentado outros lugares, teria conhecido alguém melhor". "Se eu tivesse agarrado aquela oportunidade, hoje estaria morando fora".
Puro blá blá blá!

Nossa mente nos faz crer que a realidade seria outra se tivéssemos tomado outra atitude, quando a probabilidade maior é de que seria exatamente a mesma. Tudo a mesma bosta. 

Meta não significa sucesso garantido, se fosse fácil assim todo mundo estaria numa boa. Nós não somos tão importantes para que cada  pequena escolha resulte em maravilha ou tragédia.

Às vezes o melhor mesmo é estacionar esse fogo no cu. Simplesmente fazer teu pão de cada dia. E extravasar às vezes pra rotina não nos consumir por completo. Permita-se fazer merda de vez em quando. Tomar um porre, se declarar pro amor da sua vida, viajar com pouca grana, fazer as pazes com alguém.

Deixa essa cobrança mundial de ter de ser rico, bem sucedido e gostoso pra lá. Todos os outros já estão nessa competição horrorosa, então faça diferente: o que realmente QUER fazer. Foda-se quem te fode e te estressa com pressões que você nasceu sem precisar. Não somos obrigados a culpar erros felizes para obtermos acertos sem sal.



Hell
{Ellen F.}


Direitos autorais: Valorize a veia artística deste blog, em respeito à lei nº 9.610 (de 19 de fevereiro de 1998). Não faça cópias de trechos/quotes deste conteúdo autoral sem fornecer o devido crédito à autora e ao nosso link. A equipe Faroeste Manolo agradece ^^.  
Hell (bat0mcomalcool)

AUTOR

Hell (bat0mcomalcool). Vulgo Hell {Ellen F.}. Ex-punk, fumante inveterada, colorida e rabiscada. Geminiana em dobro. Filha de Xoroquê e neta da Grande Mãe. Adotou o deboche como filosofia de vida e aceita a decadência como eterna companhia. Viciada em História, política, poesia, cultura vintage, seriados, literatura e The Sims.

11 comentários:

  1. O melhor do ano pra mim \o
    É exatamente o que andamos fazendo, nos cobrando, eu então, cada dia mais estressada e ficando irritada tão facilmente, perdendo a cabeça por pouca coisa, antigamente não me faltava paciência, hoje me falta e muito.

    ResponderExcluir
  2. Nossa Hell eu tava pensando nisso essa semana, cara.. Tá todo mundo apressado mesmo, querendo tudo pra ontem, se endividando. Lá em casa meus pais faziam questao de todos os filhos na mesa na hora do jantar, agora que eles tem celular com internet e cada um no seu quadrado kkkkkkkkkkkk Ficam no face a noite inteira, a gente quase nem se fala mais. Meu irmao caçula parece um zumbi no videogame cara.. E realmente os adolescentes mal terminam o ensino medio e ja sao cobrados pra ter bom emprego, onde que o mundo vai parar? ngm vive mais, ngm se diverte mais, ate nas festas o povo só tira foto pra postar no instagram e nem conversa mais =(((
    Ta dificil socializar kkkkkkkkk
    Tenho notado em muita gente estressada e MUITO estressadas querendo como voce mesma falou coisas que nem precisam de verdade, e so status e pq "todo mundo tem".. que graça tem fazer e ter o que todos tem?

    Enfim voce mandou muito bem no texto e na critica pra variar, né?

    Sabe que sou fã neh? <3333 hahahaha

    =**********

    ResponderExcluir
  3. Ando a pensar muito nisso nesses tempos,principalmente depois que voltamos do Sul (moramos dois anos por lá) e cheguei a conclusão que não,não é tão primordial ter uma casa própria,um emprego com remuneração grandiosa e nem um carro do ano.Estou para completar 28 anos na metade deste ano,tenho uma vida estável apesar de bem simples,moramos de aluguel (sou casada a cinco anos),dependemos de transporte publico,tanto meu marido e eu largamos nossas profissões afinal nossa saúde estava indo pro ralo e ter uma bela aposentadoria pra gastar em remédios não é o ideal.Até da faculdade desencanei um pouco, e se não for pra ser?E se de fato eu ter que descobrir minha profissão de forma informal?

    Conheço muita gente com a mesma faixa de idade que eu com imóvel próprio,carro do ano,grandes viagens 3x ao ano mas que nunca está feliz com o que tem,sempre anda a invejar o que é do outro,sempre de mau humor e sem tempo pra coisa alguma.Daí me pergunto:que vida é essa?Concordo que ter uma casa própria é importante,afinal eu mais do que nunca sei como mudar-se com frequência e pagar aluguel é estressante,mas se não conseguiu ainda,bola pra frente pense quantos lugares e pessoas interessantes pode-se conhecer morando de aluguel?!

    Vi que a simplicidade é a chave do negócio,fui um tempo atrás passar férias na Bahia em um povoado onde meus pais se criaram e nasceram.As pessoas tem apenas o necessário para viver,são pessoas simples sem roupas da marca,celulares de última geração e nem todo mundo tem carro...vivem em casas humildes mas bem ajeitadas.Foram as melhores férias que passei e não digo por conta do lugar ser bucólico,mas porque não vi ninguém de cara fechada reclamando da vida,nem a minha avó que é meio rabugenta!Confirmei ainda mais que vivendo com saúde e alegria é algo de toda valia!

    Nossa escrevi um livro aqui XD

    :*

    ResponderExcluir
  4. Caralho, Hellen, sabe quando tu escreve tudo aquilo que mais precisamos ler? Então.
    É como estávamos conversando ontem no whatsapp, eu mudo demais de ideia, e de metas e objetivos também.
    A ideia é um pouco essa, não ter medo. Porque por trás de uma grande estabilidade também pode existir medo.
    Poderia dizer que já estava indo pro caminho certo, mas não era bem o que eu queria sabe?
    Enfim, te falei tudo ontem.
    E concordo plenamente com você.
    Eu sou a pessoa mais paranóica do universo com esse negócio de idade, e ultimamente, tenho pegado bem leve com isso, porque principalmente, me toquei de que as coisas não funcionam bem assim. E com certeza, me sinto bem melhor!


    ESTAVA COM SAUDADES DOS SEUS TEXTOS, CATCHORRA! <3
    Escreva mais! u.u

    ResponderExcluir
  5. É bem isso mesmo, hoje estou com 23 anos e me enxerguei na suas palavras me lembrou até eu mesmo escrevendo no http://metadedascoisas.blogspot.com.br/ HAHAHAH

    PORRA deixa a gente. Não somos obrigados.
    Beijos

    http://www.cherryacessorioseafins.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Toda essa cobrança em cima da gente pra ja pensar em ter renda para colocar nossos filhos em escolas particulares, pra casar com quem ja tem condições, ligar pras marcas chiques de carros, nossa o ser humano está cada vez mais futil e isso me irrita demaiis.. Sua critica e bem direcionada, pelo que entendi NÓS e que temos que cortar essa cultura e relaxar um pouco, ne? Ja tento fazer isso, nao cedo a qualquer pressao. Essas regras de ter que ter casa propria, juntar dinheiro, se mostrar pros otros, ja estou de saco cheio disso =/
    E amei tudo que voce falou, queria saber me expressar da mesma forma hahaha mas dá pra entender ^^

    ResponderExcluir
  7. Nem me fale, eu sempre planejo tudo, sou muito nerd na faculdade, estudo muito, trabalho bastante, sempre organizada e quando tenho um momento de fazer merda eu me recupero de toda carga que carrego de responsabilidade, me sinto mais tranquila e sempre penso quando será a próxima merda que farei *_*

    www.raposalaranja.com.br

    ResponderExcluir
  8. Nossa, é verdade. Temos que mesmo nos permitir errar e aprender com os erros até pra ir pra frente, mas também nào da pra se acomodar muito. Pelo menos pra mim não funciona tanto hehehe
    ;**

    Red Behavior

    ResponderExcluir
  9. Acho que temos o direito de fazer merda uma vez ou outra! É sempre bom se desligar um pouco das coisas.
    Beju Beju

    stay-creepy.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Concordo plenamente Hell!! Essa competição desenfreada me enoja também, todos querendo se destacar, mas pra quê? Chegar no fim da vida (se chegar) e se lamentar por ter se preocupado apenas em atender às expectativas alheias, por não ter vivido a vida que queria ou tido momentos que gostaria em prol de recompensas materiais que nada mais são do que COISAS, muitas delas das quais não precisamos realmente, a maioria.

    Mas, segundo a TV, a mídia, as corporações, o governo, a sociedade... nós precisamos delas para sermos felizes!

    "Nossa mente nos faz crer que a realidade seria outra se tivéssemos tomado outra atitude, quando a probabilidade maior é de que seria exatamente a mesma. Tudo a mesma bosta." - Você matou a pau!! Que se fodam as possibilidades e estatísticas!!

    Beijos!

    ResponderExcluir

 Espaço livre para sugestões, críticas e elogios;
 Você pode comentar como anônimo ou utilizando seu nome/URL, conta do Gmail ou Wordpress;
 Sua opinião é bem-vinda, contanto que não seja homofóbica ou racista. Agradecemos :)