Por que a sapa masculina e a bicha feminina são ridicularizadas?

quinta-feira, abril 30, 2015 Hell F. 22 Comentários

É fato que fomos criados em uma sociedade repleta de dogmas, padrões e normas moldadas em um moralismo que não deveria existir. É claro que houve grande evolução das minorias ao longo da história da humanidade, mas não é por causa de uma melhoria significativa que tudo está lindo e maravilhoso, não! Mesmo com o avanço do politicamente correto em corrigir alguns desses erros, ainda há muito o que mudar daqui pra frente.
E antes de discutir o preconceito existente - inclusive dentro de alguns grupos minoritários, quero voltar a um passado não tão distante que ninguém conseguiu modificar.

Chega desse blábláblá hipócrita

Por exemplo, crescemos ouvindo que azul é para menino e que rosa é para menina, sem ao menos questionar a lógica desse senso comum.
E quando adquirimos mentalidade própria para TENTAR entender o mundo, não captamos o exato porquê desse medo dos adultos de seus filhos "se efeminarem". O que há por trás desse desespero mundial em manter clichês preconceituosos como raiz educadora? Até quando teremos de escolher a cor do enxoval baseados nesse lixo ao invés de pensarmos por nós mesmos? E qual o problema se nossos filhos não se tornarem o que "sonhamos" para eles? Ter de optar entre boneca e controle remoto não servirão como moldura de caráter, sinto muito!
Por que caralhos as garotas "não podem" jogar futebol ou preferir carrinhos ao invés de casinhas?
E por que garotos "não devem" costurar ou brincar de comidinha?
Essa ditadura silenciosa não se restringe apenas à questão da homoafetividade (e toda a sua complexidade), pois a discriminação do "diferente" sempre rejeitou qualquer pessoa que não se enquadrasse em suas normas.
Desde cedo nos sujeitamos às ideias de que boa pessoa é aquela que segue uma religião cristã, possui um emprego estável, paga dízimo, não bebe nem se tatua - isso para se tornar alguém aceitável.
 
Por que elas não podem ser quem são?

Não é à toa que boa parte da sociedade torce o nariz para tudo que julga incomum. Essas mesmas crianças que não puderam aproveitar sua infância livres desses pré-conceitos acabam se tornando adultos infantis, egoístas, cruéis e extremamente críticos.
A criança que aprende com os pais que menino que brinca de Barbie não deve ser respeitado pode se tornar um homofóbico que espanca até a morte. Sabe por quê? Porque intolerância vem de fábrica!
 
Drags, trans, travestis e andrógenos ainda são alvo de discriminação

São pessoas criadas nesse senso ridículo que hoje dizem: "Não tenho nada contra viado, desde que não me encare". E que também pensam: "Respeito meu vizinho gay, mas Deus me livre se minha filha virar lésbica". Que lutam pela "cura gay" como se liberdade precisasse de salvação.
São essas criaturas que se encaixam em paradigmas que ditam a beleza europeia ao invés da negra, que acham que corpo é mais importante que cérebro, que acreditam que toda mulher deve ser feminina e usar aplique, e que todo homem deve ser musculoso, viril e "bem dotado".
 
Que a beleza fora dos padrões pré-ditados seja celebrada <3

Claro que tem como se libertar dessa enganação. Ainda há tempo para se passar a respeitar as pessoas ao invés de vomitar valores maldosos que nos foram enfiados quando ainda nem podíamos formular informações. Sim, é possível desassociar o preconceito moral e religioso do nosso dia a dia, e não mais se fazer piada com a Thammy Gretchen ou com a dupla Pepê e Nenem.
Basta evitar aquelas risadas debochadas do homossexual que anda de bolsa no metrô. E abandonar essa intolerância medonha que causa o choro de uma criança excluída no recreio. Talvez menos espanto com travestis e andrógenos em locais públicos. Ou reprimir o filho que pratica bullying com a coleguinha que prefere brincar com os meninos ao invés das meninas.
Alguém aí lembra do alemão Niels Pickert? É aquele paizão FODA pra caralho, que ao perceber que seu filhinho de cinco anos estava sendo ridicularizado na escola pelos colegas por gostar de usar vestidos, passou a andar de saia pelas ruas da cidade para apoiá-lo.
 
Fonte: Hypeness

A questão é que valores retrógrados continuarão causando discórdia por um bom tempo, porém não podemos nos limitar a disseminar posições intransigentes na velha onda do mais do mesmo. Somos jovens e não apagaremos os danos passados, mas nós podemos evitar o sofrimento de muita gente daqui pra frente apenas aceitando o diferente...
A vida é tão curta para tantas pessoas se preocuparem dessa forma doentia sobre o que é certo ou errado, que eu não me conformo nessa dança do "8 ou 80" - que julga o homo passivo como vulgar e a lésbica ativa como "quer ser macho". Onde está escrito que beleza e caráter se limita a ser feminino ou masculino em obrigatoriedade ao corpo em que nascemos?


Jaden Smith (filho do astro Will) dá uma verdadeira aula sobre identidade de gênero. O rapaz gosta de usar vestidos e causou com a declaração: "Fui à TopShop comprar algumas roupas de garotas. Quer dizer, ‘roupas’".

Jaden Smith sambando na cara do sexismo

Quem garante que uma fisioculturista é sapatão somente por seu físico forte? E que todo professor de balé tem de ser gay só pela dança? E qual o problema das sapas "bofinhas" e das bichas "poc poc" serem como são?

Futuramente discutiremos algo que me tira do sério, que é esse mesmo preconceito DENTRO do universo LGBT.
Encerro este desabafo com o vídeo mais lindo de todos os tempos:
 
Que a futura geração seja mais como ela, e menos como nossos pais!


Para reflexão, seguem leituras recomendas:

O preconceito embutido no rabo
Sete tolices que dizem sobre as mulheres
Morre o rapaz espancado por ser filho de pais homossexuais
Por que há tanto barulho com um beijo de novela?


Viva o amor e sua beleza incondicional


Direitos autorais: Valorize a veia artística deste blog, em respeito à lei nº 9.610 (de 19 de fevereiro de 1998). Não faça cópias de trechos/quotes deste conteúdo autoral sem fornecer o devido crédito à autora e ao nosso link. A equipe Faroeste Manolo agradece ^^. 
Hell (bat0mcomalcool)

AUTOR

Hell (bat0mcomalcool). Vulgo Hell {Ellen F.}. Ex-punk, fumante inveterada, colorida e rabiscada. Geminiana em dobro. Filha de Xoroquê e neta da Grande Mãe. Adotou o deboche como filosofia de vida e aceita a decadência como eterna companhia. Viciada em História, política, poesia, cultura vintage, seriados, literatura e The Sims.

22 comentários:

  1. Gata vc não escreve, VC LACRA ♥
    Finalmente esse assunto sendo discutido e eu tbm acho um absurdo esse senso comum e a hipocrisia inclusive no circulo GLS. Tenho uma amiga bem sapatao que so quer menina hetero e acha feia as amigas masculinas. acho isso o ó do borogodó =///
    e o resto do texto esta tao divino que vou compartilhar Hell <3

    bjos moça

    ResponderExcluir
  2. Maneira a reflexao pq me fez pensar numa coisa que passa batida sem querer!

    ResponderExcluir
  3. Caramba, você falou tudo, realmente tudo!
    Acho que esse senso comum extremamente ridículo, pois quando eu era pequena eu amava a cor azul e jogar futebol, e pelo que eu saiba não sou lésbica, e se eu fosse tenho certeza que não teria sido por eu jogar futebol, ou por preferido brincar com os meninos. E cara achei a menininha do vídeo, super fofa. ♥

    ResponderExcluir
  4. Ai gente, que postagem mais linda! A internet precisa de mais textos como esse!
    Por que é tão difícil pros outros aceitar as diferenças? Por que o que o outro faz, ou pensa, em seu íntimo e sem prejudicar ninguém, afeta taaaanto a vida de alguns, a ponto de que façam questão de oprimir e prejudicar o outro apenas por se quem é?

    Enfim, precisaríamos de mais pensamentos como esse, mas infelizmente nossa sociedade ainda está estagnada demais pra isso"!

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. O que dizer desse blog que estou visitando pela primeira vez mas já curto PACAS?
    Sério! Eu até queria falar disso no meu blog um dia, mas ando muito sem tempo e com muita preguiça dos possíveis comentários e_e a internet é meio tóxica, né?
    Lembro que quando falei pra minha mãe que gostava de meninas ela falou um "você não vai ser daquelas masculinhas não, né?". Passei um bom tempo pensando nisso, e durante um tempo eu realmente rejeitei uma possível "masculinidade" vinda de mim, mesmo adorando algumas roupas ditas "masculinas". Hoje em dia eu cago a altura pra isso, e garanto que estou sendo beeeem mais feliz com isso, porém é triste que as pessoas à minha volta não conseguem compreender que as roupas não têm gênero (como o inteligentíssimo Jaden Smith comentou um dia desses).
    Outra coisa que irrita um pouco é quando se é lésbica ou bissexual que gosta de meninas ditas "bofinho" e as pessoas falam: ué, se é pra gostar de mulher masculinizada, é melhor namorar um homem!!!!
    E não! Não é ¬¬
    Essas coisas me deixam chateada!

    E o que dizer do vídeo dessa menina linda, né? <3 Quero muito ter uma filha assim um dia! *0*

    Beijos!
    Burlesque Suicide

    ResponderExcluir
  6. Caraca, você ganhou o eu respeito, sério! Concordo com tudo o que disse e não tenho nem palavras para dizer o quanto estou orgulhosa por existir gente que pensa assim e tem a mente aberta
    beijos
    Um Mundo Em Duas

    ResponderExcluir
  7. Às vezes acho que te amo, Hell ♥

    NA BOA!!!!!!!!! Que texto perfeito *_*

    ResponderExcluir
  8. Nossa que texto maravilhoso <3
    Precisamos de mais textos assim.

    ResponderExcluir
  9. Muito pertinente o seu manifesto contra o preconceito enrustido da hipócrita sociedade capitalista-cristã. Como você disse, fomos impelidos, antes mesmo de que houvesse um maior desenvolvimento da nossa consciência, a assimilar valores tradicionais, pautados no bom senso e nos dogmas religiosos.

    Assisti um filme muito interessante acerca desse assunto, chama-se: "Tomboy", já viu? Se ainda não, eu recomendo que veja. É um retrato muito terno, delicado e verdadeiro sobre a questão da sexualidade na infância, sem ser tendencioso ou parcial. Filme muito belo e que precisa ser visto.

    Beijos e parabéns pela crítica contundente.

    O Mundo Em Cenas

    ResponderExcluir
  10. Ótimo post, Hell! E muito, muuuito importante nos dias de hoje. Infelizmente, o preconceito é algo muito presente na nossa sociedade e é difícil mudar a mente dos setores mais conservadores, mas ainda que a pessoa "aceite a homossexualidade" (quase escrevi homossexualismo, pra ti ver como tá enraizado na gente ._.), não percebe que contribui para o preconceito no momento em que já pinta o quarto da guria de rosa e enche de barbie. Quer dizer, eu adoro rosa, gosto de barbie e tudo bem meninas gostarem também asdhia, mas se a guriazinha quiser um quarto azul, um boneco do Avenger, E DAÍ? Por que a gente desde cedo ensina as crianças que existem "coisas de menino" e "coisas de menina"?

    Tem uma passagem engraçada mas muuito boa do Monty Phyton, que a mulher engravida e pergunta "é um menino ou uma menina?", e recebe como resposta: "Acho que é um pouco cedo para começar a impor papéis à criança, não?"

    Cada um tem que procurar a felicidade do seu jeito e ser aceito como é <3

    Beijos, Vickawaii
    http://finding-neverland.zip.net

    ResponderExcluir
  11. Hell que reflexao essa, hem? *____*
    Realmente essas imposições que a sociedade nos passa desde que somos pequenos atrasam qualquer tipo de evolução =/
    não penso em ter filhos mas se eu ter um dia vou deixar logo tudo preto ou branco que nao tera problema kkkkk e se meu filho quiser brincar de barbie andar de bolsa vou apoiar, se minha filha nao quiser usar maquiagem nem salto que se f kkk o importante é o amor, o carinho, o cuidado e a educação que eu posso dar para eles, e como vc mesma falou reprimir qlq tipo de preconceito que notar neles para evitar sofrimento de outras pessoas...

    como eu queria que tivesse mais gente como vc, como o mundo seria mais inteligente e a frente <333


    bjos linda

    ResponderExcluir
  12. Texto excelente <333
    Você deve ter visto, mas esses dias saiu um pai que pintava as unhas para que o filho (que gostava de ter cores nas unhas) não sofresse preconceito. Igual ao do pai dos vestidos <333
    ;**

    Red Behavior

    ResponderExcluir
  13. Finalmente alguém para escrever algo sobre este tema. Eu sinceramente não consigo entender o porquê que as pessoas querem tanto cuidar do rabo alheio. Não me desce. Sabe, quando alguém me vem com "ah, mas ele é homem, tem que se comportar como um" eu pergunto: por acaso você lava as cuecas dele, paga as contas? Por acaso você cuida dele? E mesmo que cuidasse, não tem o direito de meter o dedo na vida alheia.

    É triste a gente conviver num mundo onde a gente tem que ser igual para ser aceito e quem é diferente tem que se moldar, aceitar que é errado, que é feio, que está fora do padrão. Às vezes nem a própria pessoa se aceita da forma que ela é, de tanto que ela ouve da boca alheia, porque sempre busca recorrer a estes padrões sociais, tanto que hoje até os gays tem que ter um padrão: se for afeminado é uma pintosa, bichinha pão com ovo e os cambal... é triste.

    Belo post!

    madessy.com

    ResponderExcluir
  14. Texto bacana. E claro que o caráter de uma pessoa vai muito mais além de suas escolhas, de seu jeito de se vestir e agir. A sociedade mesmo melhor, ainda é muito preconceituosa. Mas sabe, eu não posso falar muito também, porque ainda tenho vários pré-conceitos. É impossível quem não tenha.

    http://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Texto bacana que deveria ser algo tão natural, não algo polemico e debatedor. Vivemos em uma sociedade pobre de valores e de razões que realmente faz algum sentido na existência.

    http://metadedascoisas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Olha estou escrevendo com os pés porque com as mãos estou batendo palmas , texto incrível e o vídeo da menininha no final foi um tapa na cara ....

    Venha me visitar : http://jessicavenenoofficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Hell antes de tudo meus cumprimentos pelo texto ma-ra-vi-lho-so...
    Como é raro ver alguém dentro do mov lgbt que pense como voce, minha cara... E como a sociedade precisa de posições firmes como essa, tão lúcida que é quase um tapa na cara kkkkkkkk Como eu queria que o mundo fosse mais simples, sabe? Sem essa crueldade e deboche horrorosos que transformaram as pessoas em aspirantes a comediantes baratos. As vezes eu queria voltar a viver sem smartphones e redes sociais, sabia? Pq as pessoas eram menos lunáticas com aparencias e menos crueis umas com as outras. E como vc mesma falou, desde quando mulheres "masculinizadas" e homens afeminados sao piores do que alguem ou tem que ser zoados e discriminados? ainda temos que evoluir muito como pessoas para conseguirmos chegar a uma civilização que desconheça preconceitos.

    Enquanto esse tempo nao chega fico aqui de olho no blog e aplaudindo pensamentos sensacionais como os seus ♥

    ResponderExcluir
  18. QUASE XARÁ

    Eu confesso que fico impressionada. A comunidade lgbt, apesar de clamar o amor e a aceitação, por muitas vezes é quem dissemina o preconceito. As minorias tendo preconceito com outras minorias dentro de um mesmo grupo. Estamos no mesmo barco, não estamos? Então porque definir padrões até pra o que já que considerado "fora do padrão"?

    ai, sei lá. Me dá tanto tédio esse mimimi todo. Sou daquelas que penso assim: cada um faça o que quer, seja como quer e arque com as consequências ou prazeres do que faz. Acho tão boring apontar o dedo pros outros porque tá agindo diferente do que eu agiria. Um saco.

    O ser humano anda um saco. Vamos nos mudar pra lua? HAHAHAH

    BEEEEIJO

    ResponderExcluir
  19. Sem palavras :OOOOO

    Te aplaudo de pé, Hell ♥

    http://www.sobremeninasevodcas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Nossa, que texto lindo! ♥
    Infelizmente o preconceito está incrustado na nossa sociedade e, em grande parte, por esses pequenos atos que vão passando 'despercebidos' e que vão oprimindo desde o berço.
    Esse comportamento de querer 'podar' as crianças que são, de alguma forma, fora da dita normalidade é realmente cruel. As consequências podem ser devastadoras e não é isso (esse estigma) que deveríamos deixar para as próximas gerações.
    Parabéns pelo texo!

    ResponderExcluir
  21. TÔ APLAUDINDO DE PÉ E COMPARTILHANDO ESSE TEXTO MARAVILHOSO COM TODO MUNDO! Falou tudo que eu tenho vontade de falar, que fica engasgado aqui dentro e não saia de jeito nenhum! Parabéns!

    Beijos,
    www.destemidagarota.com

    ResponderExcluir

 Espaço livre para sugestões, críticas e elogios;
 Você pode comentar como anônimo ou utilizando seu nome/URL, conta do Gmail ou Wordpress;
 Sua opinião é bem-vinda, contanto que não seja homofóbica ou racista. Agradecemos :)