Review | Garota, Interrompida (Susanna Kaysen)

quarta-feira, setembro 24, 2014 Hell F. 24 Comentários

Olá, pessoal! Vamos falar de leitura?
 
           Todos tem suas preferências de passatempos e com o tempo aprendem a reconhecer quais coisas lhe dão mais prazer. Comigo não é diferente, e minhas atividades preferidas são escrever, ler e assistir seriados ou filmes. Ler é tão importante para mim quanto relaxar na cama assistindo uma de minhas séries prediletas, pois me transporta a mundos que posso nunca ter conhecido e também me ensina diversas outras formas de encarar a vida, muitas vezes por trás de pensamentos dos personagens.
Por isso fico fascinada com histórias reais, mesmo que na maioria delas haja um certo exagero para prender a atenção dos leitores.
 
            E é por esse motivo que vim recomendar o livro "Garota, Interrompida", pois além de ser gostoso de acompanhar, se trata de uma história verídica sob a perspectiva da autora, que em 1967 foi dianosticada com transtorno de personalidade limítrofe (fora os quadros de depressão, tendências suicidas e "vida promíscua e em desestruturação", segundo os próprios registros do hospital, também relatados no livro).

Antes de iniciarmos minha resenha da semana, colarei para vocês a sinopse da obra:
 
Garota, Interrompida - Susanna Kaysen

Não saber o que quer ser não é uma opção. Quando a realidade torna-se brutal demais para uma garota de 18 anos, ela  é  hospitalizada. O ano é 1967 e a realidade é brutal para muitas pessoas. Mesmo assim poucas são consideradas loucas e trancadas por se recusarem a seguir padrões e encarar a realidade. Susanna Keysen era uma delas. Sua lucidez e percepção do mundo à sua volta era logo que seus pais, amigos e professores não entendiam. E sua vida transformou-se ao colocar os pés pela primeira vez no hospital psiquiátrico McLean, onde, nos dois anos seguintes, Susanna precisou encontrar um novo foco, uma nova interpretação de mundo, um contato com ela mesma. Corpo e mente, em processo de busca, trancada com outras garotas de sua idade. Garotas marcadas pela sociedade, excluídas, consideradas insanas, doentes e descartadas logo no início da vida adulta. Polly, Georgina, Daisy e Lisa. Estão todas ali. O que é sanidade? Garotas interrompidas.



Divulgação: Google Imagens

Quem nunca pensou ter perdido o domínio sobre a própria vida?


           Esse questionamento se tornou o maior motivo de minha identificação com o livro, que conferi um tempo atrás em uma publicação digital ~ muitos anos após ter me apaixonado pela versão cinematográfica (com as sempre incríveis Winona Rider e Angelina Jolie).
           O longa retrata as "aventuras" vividas por Susanna Kaysen no hospital psiquiátrico McLean (Cambridge, Massachusetts), que na versão impressa nos diverte com sua leitura fácil, rápida e apaixonante. Para meu deleite, recentemente adquiri o livro, já que a Editora Única lançou em 2013 a versão traduzida pela escritora Márcia Serra. 

Alguns trechos:

"Esse foi um dos motivos que me levaram a ser escritora: poder fumar em paz."

"Ao sair da loja, meu olhar cruzou com o dele. Ele me olhava com tamanha intimidade que cheguei a me encolher. Seu olhar dizia: 'Eu sei o que você é'.
O que éramos, afinal, que todos sabiam tão depressa e tão bem?"

"Um suicídio bem sucedido exige boa organização e cabeça fria, coisas geralmente incompatíveis com o estado de espírito de quem quer se suicidar"


Minhas impressões: Apesar de ser baseada em fatos desconcertantes e pesados para nossa visão do que é normal, não achei a história tão forte como na opinião de outros leitores. Aliás, senti até que Suzanna contornou bem as peripécias da vida no hospício na base do bom humor.
           Gente, se trata de um "drama" com jovens mentalmente instáveis, muitos deles realmente nocivos para a sociedade, então é lógico que haveriam passagens grotescas e tristes para nosso ponto de vista, afinal de contas é uma abordagem de um "universo" que não conhecemos.

           No geral, achei o livro bem mais leve do que o filme, talvez por ter lido depois de assistir, não sei, mas a autora soube passar aquela agonia toda mantendo uma ironia incomparável.
           Porém, em determinados momentos o enredo chegou a me passar certa aflição, pois é impossível evitar a comparação de Suzanna com as outras internas, dado o nível de loucura delas (a exemplo de Lisa, a sociopata, que rouba a cena tanto no livro quanto no filme, motivo pelo qual Jolie conquistou seu Oscar de melhor atriz coadjuvante). Confesso que em várias passagens questionei se Suzanna realmente merecia estar lá.



Divulgação: Google Imagens

           Levando em consideração que na época do acontecimento os Estados Unidos enfrentavam uma guerra (Vietnã), e era tempo também de fortes preconceitos raciais e sexuais, obviamente chegamos à lógica de que o mundo ainda não era preparado (cientifica e clinicamente falando) para lidar com pessoas que sofriam de problemas mentais. Tratamentos com choques e experimentos com medicamentos fortíssimos eram até então, algumas das poucas soluções para moléstias do tipo, que não eram alvos de grandes estudos para buscar alternativas como vemos hoje em dia.

           Penso que, em dias de hoje, Suzanna talvez nem tivesse sido internada em um sanatório como McLean, mesmo levando em conta sua proeza de engolir 50 aspirinas por não se sentir "adequada" ao mundo. Afinal, quem é adequado para ele? Haha! Me identifiquei com as sacadas que ela teve em suas memórias para descrever a realidade da época, e seu talento para escrever deixa claro que suas crises de loucura nada mais foram do que um tempero para que ela fizesse a diferença abordando o tema.

           Me peguei pensando também em quantas pessoas não devem ter passado o mesmo por não saberem lidar com a realidade que as cercavam em épocas duras como aquela. Na minha opinião, o longa dosou mais no drama das internas do que nas maravilhosas tiradas de humor negro que a autora nos passou no livro. Não que o filme não tenha cenas engraçadas (ele tem), mas isso é até bom porque na leitura temos a adorável surpresa de adentrarmos o sanatório McLean sob novas perspectivas.
           Dei muita risada, embora muitas das situações fossem dignas de lágrimas. O clima predominante na leitura é de compaixão por aquelas mulheres. E que bom que Suzanna saiu "ilesa" de lá, posso até estar enganada, mas seus quase dois anos de internação apenas lhe garantiram no mínimo a porta aberta para sua futura vocação. O que me fez chegar à conclusão de que até a loucura nos traz recompensas.

Classificação: 4/5




           E aí, alguém já leu? Ou assistiu ao filme? Eu AMEI a obra, tanto a versão impressa quanto a cinematográfica e mega indico para quem não conferiu. Fica a dica da recomendação manola de hoje, pessoal. Aquele abraço ;**

Hell (bat0mcomalcool)

AUTOR

Hell (bat0mcomalcool). Vulgo Hell {Ellen F.}. Ex-punk, fumante inveterada, colorida e rabiscada. Geminiana em dobro. Filha de Xoroquê e neta da Grande Mãe. Adotou o deboche como filosofia de vida e aceita a decadência como eterna companhia. Viciada em História, política, poesia, cultura vintage, seriados, literatura e The Sims.

24 comentários:

  1. Adoro suas resenhas Hell, fiquei com vontade de ler pq só assisti ao filme mesmo mas falou bem, a personagem da Jolie rouba a cena então imagino que no livro ela seja ainda melhor kkk
    E se o livro for mais divertido que o filme como vc falou entao deve muito bom. sao muitas paginas?
    bjo bjo :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Own Lore, obrigada *-*
      É muito bom sim, pode comprar/baixar que creio que não haverá arrependimento ;)

      beijoooo ;*

      Excluir
  2. Ficou muito boa sua resenha Hell :D
    Se a autora realmente pasou leveza naquela história tão hardcore que foi no livro eh pq ela mandou muito bem mesmo kkk

    beijo linda =*************

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Dayse! Mandou bem demais, procura pra ler e depois me fala ;*

      Excluir
  3. Depois dessa resenha estimulante vou conferir essa historia com certeza.
    Excelente resenha Hell parabéns!!
    Sonic. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graaande Sonic!
      Muito obrigada querido, acho que você vai gostar.
      Te empresto depois ;*

      Excluir
  4. Hell e suas resenhas como sempre de encher os olhos, sempre passando suas impressões firmes e com o pé na razão hahaha *-*
    Acho estranho ngm ter comentado que leu pq o filme saiu ha tantos anos e nao e possivel que ngm mais tenha despertado interesse, sera que so nos somos malucas? kkkk Pq pra achar resenhas desse livro tem que procurar mto bem os blogs, a maioria so fala dos livros do momento e esquece do que tem valor poetico. Eu dou nota 5 pq a Suzanna realmente abordou MUITO BEM a loucura em sua volta, eu me senti triste quase o tempo todo me imaginando naquela situação lamentavel e concordo ctg no filme eles investiram pesado no drama e ate acho que exageraram demais na lisa pra gerar polemica e focaram menos na maior graça do livro, que era o humor da personagem e sua maneira impar de lidar com tudo aquilo..

    Excelente seu ponto de vista e achei bem impressionante vc ter dito extamente as mesmas coisas que senti e absorvi na minha leitura, acho que vou ate ler de novo kkk <3

    Beijos Diva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Own Vicky, obrigada pelo "diva" <3 hahaah

      Mas acredita que eu demorei muito para ler também (depois de ter assistido ao filme), sepá uns 3 anos atrás eu li pela primeira vez em PDF e só comprei este ano ;) aehuaehuae


      Fico feliz por você ter feito as mesmas observações que eu, sinal de que a leitura trouxe as mesmas sensações...

      Muito obrigada pelos elogios, Vicky! Fico muito, muito, muito feliz *-*

      Muaaah

      Excluir
  5. Resenha *________________________* meus olhos brilham com isso hahahahaha
    Hell voce que e craque na parada podia dedicar mais um tempinho com resenhas ne? Cara vc tem muito talento pra escrever, reserva um tempo e se joga, tem tantas pessoas que se baseiam em bons resumos para ler que vc nao faz idéia (pq eu sou uma delas kkk)
    Sempre quis ler esse livro (mentira, eu so fui saber que o livro existe anos depois de ter visto o filme kkk) mas assim já tem tempo que quero ler e não comprei ainda, pelos seus pontos de vista E SEM SPOILER, OBRIGADA kkkk já deu pra perceber que é bom como eu imaginava...

    Continuo batendo na tecla de que vc tem que fazer mais e mais e mais *_*


    Beijos

    LÍVIA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo "craque", Lívia *-* Ainda tenho que melhorar muito para me tornar uma, mas fico muito feliz pelo elogio..

      Sua sugestão foi super aceita e PROMETO dedicar mais tempo à resenhas, espero corresponder às expectativas rsrs ;)

      Beijos querida, muito obrigada novamente =*

      Excluir
  6. Eu preciso desse livro. Sério. Amo/sou esse filme, ele é incrível, mexeu demais comigo e sou apaixonada pela Jolie (maravilhosa) nele com aquela franja curtíssima <3 A história é muito bacana mesmo e um choque se imaginar na realidade de um hospital psiquiátrico daquela época. Fico puta na parte em que, ao ouvir o diagnóstico da Susanna, o psiquiatra inclui "promiscuidade" por ela já ter ficado com 3 homens. Que época maravilhosa né? só que não :p
    Beijo, Bruna S. ♥
    Chanel Fake Blog | Sorteio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maravilhoso, né Bruna? Menina tbm acho, o que é aquela franja? *-* Adogon!
      Pra você ver como há até "nem tanto tempo atrás" as mulheres eram alvo desse tipo de mentalidade ridícula ¬¬

      Obrigada pela visita, beijão ;*

      Excluir
  7. Eu li ano passado mesmo quando lançou Hell e nao me arrependo nem um pouco, tbm daria uns 4 estrelas pq é espetacular e que epoca dificil, ne? O pessoal ai cima ta certo e eu apoio, vc tem que postar mais *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que já tenha lido e gostado, Chris *-* Eu amei e sempre que alguém perguntar, vou recomendar!

      Fala não, que época punk.. ainda bem que somos jovens ahahhaah

      Pode deixar, já prometi que vou tentar achar tempo para resenhar mais vezes ;*

      Excluir
  8. Suas considerações foram muito bem colocadas Hell, só deu mais vontade ainda de ler esse clássicão logo, pois se seguir a regra deve se muito melhor do que o filme *o*

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza segue, Camis! Lê mesmo poxa, depois me diga o que achou, eu acho muito difícil que alguém se arrependa dessa leitura.
      Bjo querida ;**

      Excluir
  9. Eu não tinha interesse nenhum em ler pq já vi o filme, mas vc acabou com esse desinteresse ^^
    Me empresta?? Eu juro que te devolvo xD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que empresto.. Só passar lá em casa que te arrumo, sei que você vai cuidar bem ;*

      Excluir
  10. Affffff logo agora que to pobre venho aqui para distrair e agora to me contorcendo de vontade de comprar o livro comofaz hell kkkkkkkkkkkkkk culpa sua

    lindona, amei sua resenha e que história louca e deliciosaaa a da suzanna =***

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHHAHAHAH poxa Beta, dá uma pesquisada online, em segundos você achará a versão em PDF e não gastará nem um centavo, juro *-*

      Muito obrigada pela visita e comentário, beijos querida ;*

      Excluir
  11. Otima resenha ate procurei em algumas lojas online mas nao tem encadernado =\

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Pois é, eu não vi em capa dura, só que não procurei hahaha. Comprei a versão simples da editora única.
      Mas isso faz muita diferença? O que importa é o conteúdo :)
      Obrigada pela visita ^^

      Excluir
  12. "O que me fez chegar à conclusão de que até a loucura nos traz recompensas." Aaaaaaah, Hell, obrigada pela indicação! Agora não vou sossegar enquanto não comprar esse livro. Mentes instáveis e tudo mais, adooooooro!!!
    Beijooooooo, meu abor ♥♥♥♥♥♥♥♥

    http://listadasnuvens.blogspot.com/

    ResponderExcluir

 Espaço livre para sugestões, críticas e elogios;
 Você pode comentar como anônimo ou utilizando seu nome/URL, conta do Gmail ou Wordpress;
 Sua opinião é bem-vinda, contanto que não seja homofóbica ou racista. Agradecemos :)