Superar

quinta-feira, agosto 14, 2014 Thaís Bastos 2 Comentários

       

Divulgação Internet

                Quando eu tinha os meus 9/10 anos, morava no ES, eu e minha irmã sempre tivemos nossas “vontades” atendidas e apesar do drama familiar que passamos anteriormente a essa época, eu não amadureci o suficiente (mas tudo bem né, eu tinha 9/10 anos), o fato é que eu perturbava muito os meus “amiguinhos”, as brincadeiras tinham que ser as que eu escolhesse e se eu não gostava, logo emburrava a cara e subia para o nosso apartamento, tudo eu chorava kkkkk (não muito diferente de hoje em dia), acontece que por essas atitudes, eu fiquei sem “amigos”, ninguém queria brincar comigo, eu descia e ficava sozinha pq eles falavam que eu era muito chata (com toda razão, alguns ainda dirão que não mudei nada, tudo intriga da oposição), eu só tinha os meninos que me deixavam jogar bola com eles (muita coisa explicada né?!), enfim, foi duro não ter amigos, por mais nova que eu fosse, então meu pai voltou pra Brasília e eu pensei “Vou fazer amigos novos e cuidar para não perder”, desde então, tem sido assim, fiz vários amigos, hoje tenho 25 anos e conheci bastantes pessoas aqui em Brasília, gosto da maioria, amigos mesmo, eu consigo contar nos dedos, mas mantenho todo tipo de amizade com a política da boa vizinhança.
Divulgação Internet

                Não me permito brigar com ninguém, apesar de sempre brigar, apesar de ficar sempre em cima do muro odeio quando meus amigos brigam entre si, apesar de sempre ter uma desavença ou outra, eu logo volto atrás, brigar com um amigo ou com alguém que tenho um sentimento maior é como levar um soco no estômago, não consigo aguentar por muito tempo.

                O que eu venho fazendo?! Eu venho superando... Eu supero as brigas, os adeus, os xingamentos, o desapego e os sentimentos feridos com palavras/atitudes. Eu supero tudo, mas não me entendam mal, eu supero, mas não me esqueço, não me esqueço do que me foi prometido, não me esqueço do que me foi dito, feito e perdoado, eu não cobro nada de ninguém, eu só supero, porque eu tenho pavor de viver sozinha, tenho pavor de magoar alguém, tenho pavor de estar errada e eu sei que já magoei e errei muitas vezes, mesmo pedindo desculpas, o que não acho que sirva de borracha.
              Eu me cobro muito, porque o que eu faço é mais importante do que fazem comigo, mas eu não esqueço de nada, não sou boa de detalhes, mas me lembro do resumo, infelizmente eu esqueço do que eu faço a alguém e detesto quando não me dizem o que, não quero ser boa, eu só não quero perder mais ninguém na minha vida.
              Amor, irmãos, amigos, entre outros, eu já perdi demais, então eu supero, supero porque superar é seguir em frente mas jamais esquecer, é tentar recomeçar. Se você está com raiva de um amigo, não pare simplesmente de falar com ele, diga o porquê, ele pode não ser mais seu amigo dali pra frente, mas ele pode sim ter outros amigos dos quais ele irá ser o melhor. Errar, todos erram, mas nem todos superam.

Divulgação Internet

Uma vida sem amigos e sem amor, pra mim, é uma vida perdida.

Thaís Bastos


Direitos autorais: Valorize a veia artística deste blog, em respeito à lei nº 9.610 (de 19 de fevereiro de 1998). Não faça cópias de trechos/quotes deste conteúdo autoral sem fornecer o devido crédito à autora e ao nosso link. A equipe Faroeste Manolo agradece ^^. 
Thaís Bastos

AUTOR

Thaís. Para os íntimos, Sapathaís. Como boa libriana, adora filmes de romance, possui estilo despojado e busca o equilíbrio espiritual. Musicalmente eclética e conselheira nas horas vagas. Candomblecista com orgulho. Prefere enxergar a vida de um ponto de vista mais simples e desapegado. Não levanta bandeiras que não pode sustentar. Apesar dos pesares, continua acreditando que o amor é a única solução para tudo.

2 comentários:

 Espaço livre para sugestões, críticas e elogios;
 Você pode comentar como anônimo ou utilizando seu nome/URL, conta do Gmail ou Wordpress;
 Sua opinião é bem-vinda, contanto que não seja homofóbica ou racista. Agradecemos :)