Artista do mês - Didi Cordeiro

domingo, agosto 10, 2014 Hell F. 13 Comentários

E hoje é dia do Artista do Mês aqui no Faroeste, minha gente!

E já adianto que o mês de agosto tem um representante muito especial... Nada poderia me deixar mais satisfeita do que expor uma entrevista com esse querido amigo e colega poeta, que possui uma habilidade nata de transformar seu modo de ver a vida em arte escrita.

É com muito orgulho que apresento um veterano artista do Guará (Brasília - DF), responsável pelo boom de cultura no bairro em 2007 (desde sua gestão como diretor de cultura), e muito querido na vida pessoal e profissional por lutar pelo aumento e pela valorização de eventos artísticos (de livre acesso a todas as classes) de nossa cidade!

Posso afirmar com toda convicção que nunca vi o convidado de hoje mal humorado ou triste (e olha que já trabalhamos juntos, haha!), pelo contrário, sua humildade e gentileza com todos ao redor é sua marca registrada, e ele consegue passar perfeitamente seu positivismo e alegria às suas letras.

E chega de enrolação, Brasil! Com vocês... o poeta Adilson Didi Cordeiro:

Divulgação: Acervo pessoal do artista

FM: Como e quando surgiu sua paixão pela poesia?

Didi: Desde que eu me entendo por “gente”, sempre fui um romântico. Em alguns “flash´s” na memória da época de adolescência vejo ainda as letras de “tradução” das musicas em inglês. Gostava de “traduzir” tudo à minha maneira.


FM: Qual é o título do seu primeiro poema?

Didi: Na primeira fase, até os 17 anos, eram várias poesias, mas não me lembro de nenhum título. Certa vez, meu pai achou uma dessas poesias na minha pasta escolar e fiquei na minha vergonha. Foi feita para uma coleguinha de escola.


Divulgação: Blog Café com letras

FM: Quais são seus autores/poetas preferidos?

Didi: Considero a Cecília Meireles como a minha “madrinha”, por influência de uma amiga que copiava longas poesias da Cecília e me mandava pelo correio (morava em outra cidade). Antoine de Saint-Exupery (Pequeno Príncipe), também “ajudou” na minha “formação”. Hoje, esse “leque” aumentou, incluindo Drummond, Bilac, Bandeira, Patativa do Assaré, Catulo da Paixão Cearense, Florbela Espanca, e os brasilienses Cassiano Nunes, Nicolas Behr, Gaci Simas, Beth Jardim e Anabe Lopes, entre outros. Até os 17 anos, eu já havia lido quase toda a coleção de Jorge Amado. Em minha cidade natal (Pirapora-MG) tem uma pequena Biblioteca na Escola e eu era frequentador assíduo.



Letra "Poeta" de Adilson Cordeiro Didi, melodia de Anand Rao


FM: Qual é a sua criação predileta? Poderia citar um trecho dela?

Didi: Gosto de várias, que, muitas vezes fico lendo e relendo, pois já fiz umas quatrocentas poesias. Uma que posso destacar é “pOeTa”, eis o trecho: ...”Mas poeta, cachorrinho / De mansinho, se você uma dia morrer / O mundo vai desacontecer / Porque ele não é mundo sem você!”.

Divulgação: Internet

FM: Quais músicas te inspiram para escrever?

Didi: A música é umas das maiores aliadas dos poetas. Depende do meu estado de espírito, época do ano, mas posso citar as músicas de carnaval, São João e natal. Gosto especialmente de “Umas e outras”, “Roda viva”, “A banda”, “Sobre todas as coisas”, “Velho Chico” (Chico Buarque); “Bola de meia, bola de gude”, “`As vezes Deus exagera”, “Quem sabe isso quer dizer amor”, “Tristesse”, “Travessia” (Milton Nascimento); “Elegia”, “Alegria, alegria”, “Outras palavras”, “A língua” (Caetano Veloso). Estas são as principais.


FM: Você é a voz mais ativa do Sarau Poético do Guará e responsável pelo sucesso do evento. Como as pessoas interessadas podem ter acesso à agenda dos próximos encontros?

Didi: Podem procurar o poeta Pedro Arantes (pedroc.arantes28@gmail.com) que está organizando a Coletânea de Poesia/2014 e será lançada em setembro com um Sarau.



Entrevista ao blog "Literatura no Detalhe"


FM: Na sua opinião, a poesia fica mais bonita quando fala de tristeza ou de alegria? Por que?
 
Didi: Ambas as formas ficam bonitas, mas eu, particularmente, gosto de escrever exaltando a alegria. Existem poemas tristes belíssimos; mas os alegres condizem comigo melhor.


FM: Está trabalhando em algum projeto literário ultimamente? Qual?
Didi: Já tenho um livro pronto, praticamente. Também estou finalizando o segundo volume de poesias infantis e um outro de receitas culinárias com poesia.



Divulgação: Acervo pessoal do artista

FM: Que conselhos você costuma dar para poetas iniciantes?

Didi: É preciso começar a ler muitos autores, sem pressa, nem preocupação, em versos e prosas. Os romances proporcionam muitas inspirações. Deve-se também ouvir muitas músicas acompanhando e interpretando as letras. Quando for escrever, escrevam sem pressa nem culpa e muito menos obedecendo à métrica formal, pois, como dizia o poeta Vinicius de Morais: “a gente deve escrever como se mijasse”...rsrsrsrs

~


Abaixo um das belas poesias de Didi, "Brasília, é festa poética", em que tive a HONRA de ser uma das homenageadas (vide última coluna a direita, sou a quarta de cima para baixo dando close haha!). Inclusive, poemas meus foram publicados em duas edições da Coletânea Poética do Guará, outro projeto assinado pelo grande Didi! E não posso deixar de demonstrar minha eterna gratidão a ele, pois é um dos que mais acreditou em meu potencial e me incentivou a continuar escrevendo.



"Festa Poética" (Adilson Didi Cordeiro)


Gostaria de agradecer ao Didi por nos conceder essa entrevista, e registrar também minha admiração por seu trabalho cultural, seu respeito para com todos e sua sede por mais cultura, afinal, tem coisa mais gostosa do que sarau, violão e poesia? Não tem!


Para os interessados em mais conteúdo do artista, seu site oficial é o http://www.adilsoncordeirodidi.com.br/web/, façam uma visita lá ;)


Também tem como localizá-lo em seu Facebook, e seu e-mail para contato é adilsoncordeirodidi@gmail.com.

Vamos valorizar quem faz a diferença em nome da arte? Para adquirir seu livro "Algo tão doce", de poesias infantis, clique aqui!

Muito obrigada a todos, aquele abraço e até a próxima edição da coluna ;* 

Hell (bat0mcomalcool)

AUTOR

Hell (bat0mcomalcool). Vulgo Hell {Ellen F.}. Ex-punk, fumante inveterada, colorida e rabiscada. Geminiana em dobro. Filha de Xoroquê e neta da Grande Mãe. Adotou o deboche como filosofia de vida e aceita a decadência como eterna companhia. Viciada em História, política, poesia, cultura vintage, seriados, literatura e The Sims.

13 comentários:

  1. Parabéns pelo projeto..gostei muito da musica adaptada na letra do poeta :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei não só essa como as outras, a parceria entre o Didi e o Anand ficou sensacional *-*

      Valeu pela visita, Valentina :)

      Excluir
  2. Adorei a entrevista, representante especial mesmo! Sempre é bom conhecer pessoas que realmente fazem uma BOA diferença.
    Beijão, Hell ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Elisa! Nosso objetivo é esse mesmo, apresentar a arte de quem faz a diferença :)

      Beeeeeijo ♥

      Excluir
  3. Que legal a entrevista Hell, publica um dia suas poesias dessa coletania *____*
    Adorei conhecer o trabalho do Adilson, boa sorte pra vocês no ramo artístico..bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Simone, boa ideia vou postar sim ♥
      Ele é um artista e profissional maravilhoso, valeu pela força ;*

      Excluir
  4. Ótima entrevista. Eu gostei das músicas, não são muito o ritmo que eu curto, mas são legais.

    http://agindodiferente.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Heheh sério? Eu já achei uma delicinha, misto de MPB com bossa nova <3

      Obrigada pela visita, Danie, muaahh ;*

      Excluir
  5. Ficou ótimo... Valeu Didi Cordeiro \o

    ResponderExcluir
  6. Ele escreve muito bem, adorei a iniciativa hell =*

    ResponderExcluir
  7. Excelente iniciativa!!!!! Viva a cultura local!

    Guilherme Alvarenga

    ResponderExcluir

 Espaço livre para sugestões, críticas e elogios;
 Você pode comentar como anônimo ou utilizando seu nome/URL, conta do Gmail ou Wordpress;
 Sua opinião é bem-vinda, contanto que não seja homofóbica ou racista. Agradecemos :)