O preconceito embutido no rabo

segunda-feira, maio 19, 2014 Hell F. 5 Comentários


Old school
Imagem meramente ilustrativa

Primeiramente, deixando bem claro que meu pensamento particular não flerta em nada com o feminismo em si. A imagem acima apenas reflete um pouco do que tenho a dizer, tendo ciência de que toda forma de pensamento que sugira alguma evolução possui algo bom a se tirar (e, principalmente, que todo radicalismo é estúpido).

Tá, vivemos em um século tecnológico, "avançado" e crente de que paradigmas foram mais quebrados atualmente (em relação aos anteriores) e aquele velho blábláblá surrado e aquela firula toda que tentam nos fazer engolir à força, mas a verdade enrustida sobre nossa sociedade é que homofobia se tornou o termo queridinho da geração (mais até do que "stress" e "bullying"), porém, ao invés de seu significado ser com-ba-ti-do, o tiro saiu pela culatra e os preconceituosos preferiram aderir ao novo movimento "anti-gayzismo". Como lidar?

Não estou dizendo que as coisas não melhoraram, só estou farta da hipocrisia acerca disso. É fato que o mundo mudou, não em suma, é claro - habitamos um planeta imenso em que culturas levam gerações para se chocarem e revolucionarem, porém, o preconceito contra o "público" LGBT continua firme, forte e idiota como sempre. E falo mais precisamente do nosso país, o Brasil que adora pregar a imagem de "liberdagem e libertinagem", mas no fundo não passa de um país careta e orgulhoso até demais (e orgulhoso não sei de quê). O universo gay está sendo mais abordado nas novelas, mas os comentários nas ruas persistem em provar que há uma rejeição muito forte. Existe intolerância, nojo e ÓDIO reinando sobre o assunto. E agora a guerra de braços despertou uma discussão jamais vista antes na história do país, pois os mais preconceituosos se sentem no direito de se sentirem ultrajados e agredidos pelas demonstrações públicas de carinho entre pessoas do mesmo sexo. E virou moda taxar qualquer um que seja a favor da causa como "nazi". Francamente...
Admito que não concordo com algumas ideias do Movimento LGBT, que ao invés de lutar pela igualdade, às vezes acaba por exigir privilégios. Quanto a isso, sou contra. Rola muito mimimi por todos os lados, entre os simpatizantes, entre os homofóbicos e entre os próprios líderes dos movimentos pró-gay que acabam por cagar a porra coisa toda e atrair mais ódio da multidão discriminadora. Uma guerra de braços foi instalada como nunca, e (infelizmente) a única certeza que tenho é que virão muitos Feliciânus por aí...
Mas vamos esquecer essa parte chata da coisa, independentemente da linha tênue entre o politicamente correto e a intolerância sem limites, quero apenas tratar sobre algo que por muito tempo não tive opinião formada e foi se moldando ao observar a visão das pessoas em geral, sendo do meu círculo íntimo às notícias relacionadas ao tema mundo afora.

A verdade é que a sociedade se dividiu em um assunto polêmico, que por si só já envolve política e religião, quando deveria ser encarado apenas como CIVILIDADE. Civilidade, meu povo! Ah, fulano dá o rabo? Foda-se! Isso não afeta caráter, profissionalismo ou fé. E os mais radicais se escondem atrás dos exageros de um ou outro grupo para continuar atacando sob o álibi de "contra gayzismo". Gayzismo de cu é rola!

(18) Tumblr
Por que isso é errado? ¬¬
Uma vez, numa discussão sobre o assunto com um sábio amigo, eu listei os motivos de gostar e ao mesmo tempo não gostar do (deputado) Jean Willys. Foi quando ele me abriu a mente ao dizer: "Quando vi um discurso dele pedindo algumas regalias para a comunidade LGBT, pensei: 'Esse cara tá falando merda, ele vai acabar gerando mais ódio contra seu povo!', e depois entendi que o que ele faz não é muito diferente de uma criança que sabe que não vai ganhar vinte reais do pai pra ir ao shopping, por exemplo, mas pede vinte apenas para ganhar dez! É mais ou menos isso que ele faz com o governo, ele pede MUITO em troca de um pouco de dignidade!". Genial! E de fato, faz sentido. Algumas medidas são tomadas em troca de uma discussão que abra a mente das pessoas. Isso pode despertar mais fúria dos intolerantes? Pode! Mas a notoriedade dessas discussões também é capaz de conquistar a compreensão e simpatia de muitas outras pessoas que convivem ou não com homossexuais, ou mesmo as mais solidárias que não concordam com a violência e o preconceito que muitos (muitos mesmo) sofrem.

Love is love. Gay is ok.
Divulgação: Internet
E algo que me irrita profundamente, talvez até mais do que os homofóbicos assumidos, são os idiotas que propagam o preconceito se livrando da fama: as pessoas que mais discriminam são as que dizem que não tem problema algum com esses "tipos" de pessoas.
O que esse bando de FDP ignorantes precisa entender é que o preconceito continuará existindo enquanto pessoas continuarem tropeçando nos seguintes pensamentos (eis algumas das imbecilidades mais comuns):
- Fulano é gay, MAS É MUITO GENTE BOA!
- Ciclana é lésbica, MAS É BEM FEMININA!
- O cara pode ser viado, CONTANTO QUE NÃO MEXA COMIGO!
(Também comum: - A mina pode ser sapatão, DESDE QUE NÃO QUEIRA ME PEGAR)
- Gosto de viado que fica na dele, NÃO DO QUE QUER APARECER!
- Adoro meus amigos gays, MAS AI DO MEU FILHO SE "VIRAR" UM!
- Se uma mulher é lésbica, POR QUE ELA ESCOLHE PEGAR OUTRA MULHER QUE SE VESTE IGUAL HOMEM?

Oi?
Tanto peão se achando gostosão ao ponto de achar que todo gay quer dar para todos os homens, né? COITADOS! Tadinhas também das periguetes preconceituosas que acham que qualquer sapa quer se arriscar a pegar herpes com elas! E por que as pessoas insistem nessa ignorância sem tamanho de que as pessoas OPTAM em ser gays? Todos NASCEM como tem de ser.. seja hetero, bi, gay ou assexuado. Ponto! É da PESSOA. Não é doença, não é psicológico, não é moda, não é fase e não é escolha, caralho!!!!

(3) Tumblr
Divulgação: Internet
Se uma mina é mais feminina e gosta de uma caminhoneirinha, é o gosto dela e foda-se! Então quer dizer que um rapaz hetero não pode ficar com uma moça de cabelo curtinho, por exemplo? Por que pra cabecinhas tão pequenas, o correto sempre será a figura feminina + masculina? Quer dizer que para uma mulher que se apaixona por um cara que gosta de se arrumar e é mais delicado, ela terá de se vestir mais "masculinamente" para combinar com ele? PREGUIÇA!!!!

I don't really care what gentlemen prefer. | via Tumblr
Divulgação: Internet
Sei que de nada adianta esbravejar contra os seres que alimentam esse ódio desnecessário, pra mim o que eles sentem nada mais é do que uma inveja enrustida de ver pessoas bem resolvidas com quem elas são. Gente infeliz e preconceituosa não aceita felicidade alheia, se incomoda com quem dá pinta, se limita a se satisfazer humilhando as pessoas pra compensar seu mundinho vazio. Sei que nada vai mudar, mas que fique registrado aqui neste apelo um protesto CONSCIENTE de mais uma pessoa de saco cheio desse preconceito embutido no rabo dessa gentinha chata, sem graça e desprezível. Apenas!

Divulgação: Internet
Hell (bat0mcomalcool)

AUTOR

Hell (bat0mcomalcool). Vulgo Hell {Ellen F.}. Ex-punk, fumante inveterada, colorida e rabiscada. Geminiana em dobro. Filha de Xoroquê e neta da Grande Mãe. Adotou o deboche como filosofia de vida e aceita a decadência como eterna companhia. Viciada em História, política, poesia, cultura vintage, seriados, literatura e The Sims.

5 comentários:

  1. Acabo de descobrir que sou preconceituosa u.u Mentira, eu já sabia ... Parabéns pelo texto amor meu ♥

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Esse seu amigo é deveras informal em suas analogias e politicamente inconsequente, fdp. hahaha Infelizmente, em muitos casos, o papel dos radicais é tão ou mais importante do que o papel dos "coerentes e meramente conscientes". (excetuando o papel dos radicais fascistas, que querem extinguir a opinião alheia e só mudar a injustiça de lado. Essa galera que não sabe brincar, tem que ficar de fora do playground). Se você tem uma sociedade radicalmente conservadora e piegas, tem que ter o outro lado radical pra ajudar a pesar a balança pro outro lado, até um dia conseguirmos equilibrar um pouco. Infelizmente também temos que usar um pouco do políticamente correto pra nos corrigir em pequenos preconceitos enraizados e que estão presentes no nosso dia-a-dia. E, ACIMA DE TUDO, tenhamos bom senso, pensemos e nos coloquemos no lugar do outro. E eu terminei de escrever isso já discordando de mim mesmo em algumas partes, mas nem vou me retalhar, preguiça. Beijo

    ResponderExcluir
  4. se eu tivesse o seu telefone te ligaria so pra vc escutar os aplausos hell kkkkkk
    falou tudo!!!!!!! como que pode dentro de uma minoria as pessoas se virarem contra as outras, seus iguais? ser humano e tudo estranho mesmo kkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir

 Espaço livre para sugestões, críticas e elogios;
 Você pode comentar como anônimo ou utilizando seu nome/URL, conta do Gmail ou Wordpress;
 Sua opinião é bem-vinda, contanto que não seja homofóbica ou racista. Agradecemos :)