Review | RuPaul’s Drag Race

sexta-feira, março 14, 2014 Hell F. 1 Comentários


YNHAYYYYN! Após o longo breve hiato, estamos de volta, manolo! E nada melhor do que retomar as atividades falando de um assunto forte, alegre e do ba-ba-do: a competição RuPaul’s Drag Race! É com grande alegria que falarei sobre meu mais novo vício, sem dúvidas um dos melhores programas que já acompanhei até hoje.
Elenco da 4ª temporada - Divulgação: Internet
Confesso que ainda não me perdoei por não ter sido apresentada a essa série antes, só descobri graças ao Netflix, porque meu querido pacote da Claro TV não acopla o canal Logo TV (produtor da série), e melldells, já está em sua 7ª temporada (que está sendo gravada e estreará no segundo semestre deste ano). Como assim, gente? Tinha que ser exibido no Brasil através da TV aberta e em horário nobre desde o primeiro episódio da saga drag!!!! #Protestemos

RuPaul sempre diva - Divulgação: Internet
 Atualmente, a 6ª temporada está sendo transmitida em seu canal de origem. Cada episódio possui em média 42 minutos de duração, mas é impossível assistir apenas um por dia, é tão viciante e divertido que consegui assistir todas as temporadas em pouco mais de uma semana!

Então vamos lá, para quem não conhece, o programa apresenta uma disputa de drag queens concorrendo ao título de próxima “drag top model” para representar a América. Mais ou menos um “America Next Top Model”, SÓ QUE NÃO, é bem melhor! Ao invés da mulherada se matar nas passarelas, no RuPaul’s vemos as bees se jogando pra provar quem faz mais carão, pra que melhor? *-*

O enredo nos traz drama, suspense e comédia de sobra, e a cada capítulo passamos a conhecer um pouco da intimidade dos participantes e, claro, aprendemos a amar ou odiar alguns deles. É uma delícia se deparar com a realidade daquelas pessoas que encarnam seus personagens nos palcos e na vida noturna, principalmente porque cada um possui suas peculiaridades. Há pais de família, servidores públicos, homens que preferem se montar apenas à noite e outros que se sentem mais à vontade transformados todo o tempo.


A participante Manila
Vemos também todos os tipos de corpos, estilos e raças se transformando em lindas mulheres.
A cada semana uma menina é eliminada, despertando o espírito competitivo e provocando emoções variadas nas que seguem na disputa. Semanalmente são apresentadas duas provas aos competidores: o mini desafio, que às vezes separa duas vencedoras em equipes que se enfrentam na prova final ou então elege apenas uma vitoriosa (que recebe um pequeno prêmio ou uma regalia, como ligar para um familiar ou amigo) e o desafio final, em que RuPaul conta com uma bancada de jurados que o ajudam a avaliar o figurino e o talento das meninas e elimina a que teve o pior desempenho.

Falando em desafio final, foi criada uma cultura nos dias de eliminação em que as duas mais má avaliadas dublam clássicos (como “Bad Romance”, da Lady Gaga ou “Supermodel”, sucesso do próprio apresentador da série) e após a performance, a decisão final fica à critério da "mama" RuPaul.

Ao contrário do que se imagina, você não precisa ser do babado pra curtir, ok? Além de descobrir talentos, o enredo é focado em tantos parâmetros que fica difícil decidir o melhor, desde o alto risco de misturar as bichas mais pintosas e egocêntricas dos Estados Unidos numa competição até os detalhes de moda, talento, maquiagem, comportamento humano e claro, o luxo e humildade sempre presentes no apresentador do programa. Falando nele (ou nela), RuPaul é a drag mais conceituada e festejada da América, virei fã de carteirinha! Além de ser talentosíssima, é extremamente humana e profissional, transbordando um carisma que toca até mesmo quem possui repulsa por homossexuais.

O programa é repleto de frases marcantes de RuPaul (algumas que ficam até manjadas ao longo das temporadas), mas a que ele sempre encerra o programa é: “Se você não consegue se amar, como diabos vai amar outra pessoa?”.

Cada temporada possui seus pontos fortes, claro, mas particularmente preferi a 1º, a única em que me lembro do nome de todas as candidatas e sem dúvida, a que mais torci (por duas: pela perfeita da Nina Flowers e pela doce Ongina).

RuPaul sem montagem. Incrível a diferença, né? (Divulgação: Tumblr)

Então por hoje é só pessoal, a recomendação foi feita e eu espero que se divirtam assistindo essa delicinha de programa, muah ;***** 

Hell (bat0mcomalcool)

AUTOR

Hell (bat0mcomalcool). Vulgo Hell {Ellen F.}. Ex-punk, fumante inveterada, colorida e rabiscada. Geminiana em dobro. Filha de Xoroquê e neta da Grande Mãe. Adotou o deboche como filosofia de vida e aceita a decadência como eterna companhia. Viciada em História, política, poesia, cultura vintage, seriados, literatura e The Sims.

Um comentário:

  1. Das resenhas que já vi sobre essa série, a sua foi a mais divertida :D

    BJOS ;*

    http://sobremeninasevodcas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

 Espaço livre para sugestões, críticas e elogios;
 Você pode comentar como anônimo ou utilizando seu nome/URL, conta do Gmail ou Wordpress;
 Sua opinião é bem-vinda, contanto que não seja homofóbica ou racista. Agradecemos :)