Review | Parks and Recreation

quinta-feira, janeiro 09, 2014 Hell F. 0 Comentários

(Divulgação: Internet)



Muitos ainda nem ouviram falar desse seriado, mas trata-se da minha 5ª série favorita (atrás apenas de “Seinfeld”, “Modern Family”, “South Park” e “Friends”) e por isso acho válido recomendar para quem ainda não conhece e se propõe a conhecer séries de estilo diferente.



(Divulgação: Internet)


Parks and Rec, para os íntimos, é uma sitcom americana produzida em 2009 pela NBC e estrelada pela fofa da Amy Poehler (aquela do Saturday Night Life, uma espécie de Casseta e Planeta menos ridículo na qual os americanos parecem não se cansar nunca). De cara achei o enredo (e o estilo) uma cópia descarada do “The Office”, mas como sou uma verdadeira lady e sempre dou a chance dos três primeiros episódios antes de julgar uma série, acabou que assisti a 1ª temporada inteira no mesmo dia e ainda fiquei com sensação de quero mais. Primeiro que o estilo DOC (ou mockumentary) veio pra ficar, né? Daí acrescente na mistura sarcasmo, ironia e um pouco de humor negro leve (porém eficaz), que resultou em uma comédia MUITO melhor do que "The Office" e outras do gênero. Ainda bem porque detesto The Office..


Sente o gostinho abaixo (do meu personagem favorito, o Ron Swanson REI):




Sobre o enredo, Parks and Rec nos conta a simplista história da workaholic Leslie Knope, uma funcionária pública dedicada, feminista, engajada e muito atrapalhada (que às vezes demonstra não ter vida pessoal), cujo maior objetivo na vida é construir um parque comunitário num buraco da pequena cidade de Pawnee (fictícia, mas ambientada no estado de Indiana). Parece tosco (e é, HAUEHAEUAH), mas na medida em que os episódios se passam, os personagens secundários cativam tanto o público que chegam ao ponto de fazer a protagonista virar uma chata de galocha nas últimas temporadas aHahAHaha.



(Divulgação: Internet)


Digamos que é um humor inteligente na base do ridículo, pois a série une uma gama de personagens no ambiente de trabalho que JAMAIS poderiam dar certo juntos: uma estagiária esquisita e um tanto satânica, um chefe liberalista que odeia trabalhar no governo, uma viciada em serviço (mesmo que seja apenas no Departamento de Parques e Recreação que presta serviço à prefeitura), um americano-cara-de-indiano galanteador que só pensa em se dar bem e outros coadjuvantes sensacionais que com certeza roubam a cena.


(Divulgação: Internet)


Sou fã number one do retardado do Andy (Chris Pratt), da psicopata da April (Aubrey Plaza), do comédia do Tom (Aziz Ansari) e principalmente do carnívoro, inimigo número um do Estado (e das feministas, dos hippies e por aí vai) e excessivamente moralista Ron Swanson (vivido pelo ÓTIMO Nick Offerman). Racho de rir com as piadas inteligentes hora aqui hora ali alfinetando a audiência. E também acho sensacionais as tiradas que satirizam principalmente a burocracia do funcionalismo público americano, fora as consequências do convívio de personagens estranhos, egoístas, egocêntricos, preguiçosos, debochados e bem diferentes dos tipos caricatos que nos acostumamos a assistir em outras séries.



(Divulgação: Internet)

Parks and Recreation me surpreendeu justamente porque não criei expectativa nenhuma em relação ao programa, assisti sem esperar nada e felizmente se tornou uma das minhas prediletas.





A quem interessar possa, a série pode ser conferida no Netflix e nesses dois sites abaixo:



 
Hell (bat0mcomalcool)

AUTOR

Hell (bat0mcomalcool). Vulgo Hell {Ellen F.}. Ex-punk, fumante inveterada, colorida e rabiscada. Geminiana em dobro. Filha de Xoroquê e neta da Grande Mãe. Adotou o deboche como filosofia de vida e aceita a decadência como eterna companhia. Viciada em História, política, poesia, cultura vintage, seriados, literatura e The Sims.

0 comentários:

 Espaço livre para sugestões, críticas e elogios;
 Você pode comentar como anônimo ou utilizando seu nome/URL, conta do Gmail ou Wordpress;
 Sua opinião é bem-vinda, contanto que não seja homofóbica ou racista. Agradecemos :)